Carta às igrejas brasileiras

Em 10 de junho de 1948, as igrejas brasileiras foram chamadas, no Rio de Janeiro, para uma reunião inédita até ali. Elas foram convocadas para uma assembleia de fundação do que seria a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB). A proposta era simples e audaciosa. Criar uma organização com o propósito de “Dar a Bíblia à Pátria”.

A Segunda Guerra Mundial ainda estava na memória de todos. A guerra havia sido um desastre. Cristãos, na maioria dos casos, estavam nos dois lados das trincheiras, uns tentando eliminar os outros. Os motivos eram absurdos, pelo menos à luz do que ensinava a Bíblia Sagrada. Algo precisava ser feito. Era preciso ler a Bíblia com mais atenção. Foi nesse contexto que surgiu a ideia de se ter a Sociedade Bíblica do Brasil.

O resultado daquela reunião foi impressionante. 75 anos depois, a organização criada conseguiu distribuir mais de 200 milhões de bíblias no Brasil e no mundo. As igrejas reunidas, presentes naquela primeira assembleia no Rio de Janeiro, cresceram e se multiplicaram. Hoje são representativas no país onde, até ali, eram uma minoria. A ideia de distribuir a Bíblia deu certo.

Mas a obra ainda não está terminada. Ao contrário, ela está só começando. A provisão de Bíblia não muda o coração das pessoas. É preciso ler a Bíblia. Mas a simples leitura também não resolve muita coisa. É preciso crer no que a Bíblia ensina. Além disso, é preciso compartilhar o aprendizado feito.

Quando comemoramos os 75 anos de existência da Sociedade Bíblica do Brasil, é tempo de reflexão. Em primeiro lugar, é tempo de agradecer a Deus por tudo o que ele fez por intermédio dessa organização. As igrejas brasileiras e muitas outras igrejas em mais de uma centena de países, foram abençoadas recebendo bíblias produzidas pela SBB. Deus seja louvado por isso.

Além disso, é tempo de olhar para o futuro. Os desafios estão diante das igrejas. O Brasil e o mundo precisam do efeito benéfico da Palavra de Deus. Crianças e jovens não conhecem o suficiente sobre o que a Bíblia ensina. Jesus Cristo, o Salvador que Deus enviou ao mundo, e que é o centro do ensinamento bíblico, continua desconhecido por muita gente. Se quisermos que as pessoas conheçam a revelação de Deus ao ser humano, nosso esforço para distribuir a Bíblia precisa ser redobrado. As igrejas, como em 1948, precisam se unir nessa tarefa.

Por isso, na celebração desse Jubileu da Sociedade Bíblica do Brasil, o nosso convite é para que nos reconsagremos à missão que nossos pais, em 1948, assumiram: fazer da Bíblia Sagrada o livro do nosso país e do mundo. Que possamos ver o que eles queriam, que a Sociedade da Bíblia fosse toda a sociedade humana.

SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL

SEMEANDO A PALAVRA QUE TRANSFORMA VIDAS

https://sbb.org.br/

Erní Walter Seibert (Rev. Dr.)

Diretor Executivo (CEO)

[email protected]

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Nossa oração mudou

   ”Deus, abençoe as pessoas pobres e ricas que perderam tudo na enchente. Que elas consigam o que vestir, o que comer e uma casa para morar”

Veja também

Nossa oração mudou

   ”Deus, abençoe as pessoas pobres e ricas que perderam tudo na enchente. Que elas consigam o que vestir, o que comer e uma casa para morar”

ANEL participa de Congresso Nacional de Escolas Luteranas da Argentina

Presidente Marlus Seling, diretor-executivo Nelci Senger e vice-presidente de Ensino da IELB, Joel Muller, representaram o Brasil no evento que reuniu mais de 300 participantes

O surgimento de uma tradição cristã

Participaram das aulas 19 alunos de diversos lugares do Brasil e do continente americano, tais como Canadá, México, Venezuela e Paraguai.