Flexibilidade Psicológica: a base para uma vida saudável

Parte de alguém psicologicamente saudável é ter pensamentos positivos, sentimentos bons e ações de bem-estar. A outra parte saudável é ter pensamentos negativos, sentimentos ruins e ações que requerem coragem. O que une essas partes aparentemente opostas é a Flexibilidade Psicológica. Ela é uma forma de caminhar para uma vida psicologicamente saudável. Três pilares formam o “combo” da flexibilidade psicológica: ABERTURA, PRESENÇA e COMPROMISSO. Entenda como aplicá-los em sua vida.

ABERTURA

Abertura significa abrir espaço para pensar e sentir de forma integral, sem categorizar pensamentos e sentimentos em “positivos e negativos, bons e ruins”. Por vezes, tentamos controlar nossas emoções ou guiar nossa mente somente para o que é bom e confortável. Isso pode funcionar com nossas atitudes, mas, quando falamos de sentimentos e pensamentos, controlar se torna parte do problema.

Você já deve ter ouvido frases como “controle suas emoções” ou então “se eu parar para pensar eu enlouqueço”. Você deve conhecer pessoas que enchem a agenda com atividades para “não pensar” em frases difíceis como “estou sozinho no mundo”, “eu só atrapalho”, “não faço nada certo”, “não mereço estar aqui”. Talvez você mesmo já mergulhou em um turbilhão de pensamentos buscando respostas para frases do tipo “por que comigo?”, “o que eu fiz de errado?”, “eu merecia isso?”. Pare de lutar com seus pensamentos e sentimentos. Eles acompanham você desde sempre e fazem parte de você, isso não quer dizer que eles definem quem você é. Assim como as nuvens fazem parte do céu, as ondas fazem parte do mar, seus pensamentos e sentimentos fazem parte de você – os bons e ruins.

Ao abrir mão dessa luta interna podemos olhar a nossa volta, na presença de qualquer tipo de pensamento e sentimento, e caminhar em direção à batalha que importa (vou falar dela ao final, e se você estiver com pressa, fique à vontade para escolher passar adiante dos próximos parágrafos ou ter um ato de coragem e seguir de onde estamos).

PRESENÇA

Por um instante, olhe ao seu redor. Vivemos acelerados entre barulhos, ruídos e multidão. Ouvir o que seu corpo e suas emoções dizem no meio de tudo isso parece uma tarefa desnecessária, até o instante em que somos paralisados pela dor que gritou e negligenciamos. Enxaquecas, AVCs, pressão alta, insônia, crises de ansiedade, depressão, não chegam “do nada” em nossas vidas, entretanto perdemos a capacidade de ouvir os seus sinais. Tudo isso por que não tivemos presença!

PRESENÇA é você se observar no aqui e agora, pensando, sentindo e fazendo coisas num ambiente. É parar de correr atrás da sua “melhor versão” e desfrutar da versão que você é hoje, fazendo o possível com o que está disponível aqui e agora. É olhar para o dia de hoje e perceber que cada dia trará consigo suas próprias preocupações.

Alguns exercícios simples podem ajudar você a se perceber e sair dessa rotina frenética. Faça o seguinte exercício, se desejar: por alguns segundos, note o ritmo da sua respiração neste momento e, só depois, retorne sua leitura (me percebo com inspiração curta e expiração mais prolongada neste momento). Se quiser ir além, observe a temperatura do ar que entra pelas narinas, mais gelado, e sai, mais quentinho (alguns pensamentos podem passar na sua mente nesse momento, e você pode escolher voltar com sua atenção para a respiração ou para a leitura desse texto, sem se apegar ao que pensa). Você também pode fazer esse exercício notando cheiros, gostos, cores, tocando em texturas diferentes que estão em seu ambiente neste momento. A oração e a meditação são formas de ter uma pausa em meio a correria e podem ajudar você a estar mais presente na sua própria vida.

COMPROMISSO

Aqui é a nossa batalha – viver uma vida comprometida com valores

Na entrada de um novo ano é comum – e saudável – traçarmos novos objetivos de vida ou resgatarmos antigos. Alguns deles serão alcançados durante a vida e depois ficaremos insatisfeitos novamente, buscando outros objetivos. Por conta disso, uma vida focada em atingir objetivos tende a ser vazia de significados. Mais importante do que alcançar um objetivo, é a forma como você escolhe caminhar até ele. Para vivermos uma vida significativa é necessário nos comprometermos com a caminhada e não só com o lugar que queremos chegar. Você pode atingir o objetivo de ser promovido no seu trabalho de forma honesta ou desonesta; você pode fazer exercícios físicos na “força do ódio” ou na “força do amor-próprio”; você pode brincar com seus filhos de forma educativa ou divertida. Todas essas e outras “formas de agir” são exemplos do que chamamos de valores. Uma vida comprometida com os valores é uma vida que vale a pena ser vivida. Note bem que a palavra pena diz respeito a algo que é penoso, doloroso. Viver COMPROMETIDO com valores não é sinônimo de uma vida repleta de felicidade e alegria mas, de uma vida em que a dor, o esforço ganha sentido.

Se você está de mudança para outro país, ou se preparando para iniciar a maternidade, ou alcançar algum outro objetivo de vida, convido a se perguntar: “que forma escolho percorrer essa jornada?”, “essa forma vai ao encontro de como Deus gostaria que eu agisse?” Que Ele encoraje meus passos e os seus, querido leitor e querida leitora, por uma vida com abertura, presença e comprometida com os valores.

*Conceito da Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT)

Kamila Fukue

Psicóloga Clínica On-line

CRP 07/28444

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Novos membros são recebidos em Nova Petrópolis, RS

Culto da Santíssima Trindade teve batismo e recepção de novos membros na Congregação São Marcos

Veja também

Novos membros são recebidos em Nova Petrópolis, RS

Culto da Santíssima Trindade teve batismo e recepção de novos membros na Congregação São Marcos

Enchente no RS provoca mudanças no Simpósio de Missão

Programação do Seminário Concórdia será reduzida e online. Inscrições podem ser feitas até o dia 21 de junho

Saúde mental em meio a desastres e catástrofes

A busca por autoconhecimento é sempre fundamental, ter ciência das suas habilidades, quando e onde tem condições físicas e emocionais para atuar é fundamental. Confira algumas dicas de como lidar com as emoções em cada fase