As curas e milagres na vida do cristão

Nos dias de hoje, ao acompanharmos as notícias que giram pelo mundo, muitas vezes nos deparamos com fatos que nos levam a pensar! O resgate de uma pessoa, após muito tempo estar soterrada, sob escombros de um terremoto! Milagre ou sorte? Esta pergunta logo nos vem à mente.

Muitas pessoas, presas a um leito, e, junto com amigos e familiares, à espera de um milagre ou da cura… Essas e muitas outras realidades nos cercam no dia a dia, nos noticiários ou na vida pessoal.

Frente a isso, a pergunta: “O cristão pode, ou deve, esperar por curas e milagres?” Quando tentamos responder a essa e a outras perguntas, precisamos olhar para quem é o autor de curas e milagres, Deus! Ele se dá a conhecer através das Escrituras, bem como pela obra de seu Filho Jesus.

No tempo de Jesus, muitas pessoas o buscavam para receberem sua ajuda, pois acreditavam que ele os podia libertar de enfermidades, possessões e outras moléstias. Jesus por sua vez, sempre pronto a ajudar as pessoas, não só lhes concedia o pedido, mas também despertava nelas a fé, quando dizia: “Tudo é possível ao que crê!” (Mc 9.23).

Mas e quando os nossos pedidos não são atendidos, o que dizer? Não houve fé? Não pedimos de forma correta e com a insistência que deveríamos? Não podemos nos esquecer de que nós, muitas vezes, pensamos diferente de Deus, vemos o aqui e o agora, porém Jesus olha para a eternidade.

Um bom exemplo disso é o milagre da ressureição de Jesus, que nós, cristãos, lembramos neste mês por ocasião da Páscoa. Maria, a mãe de Jesus, bem como outras mulheres e discípulos, foram no domingo pela manhã ao túmulo para preparar o corpo de Jesus, pois não havia dado tempo de o fazer na sexta-feira.

Essas mulheres e discípulos não haviam entendido as palavras de Jesus, quando ele tinha prometido que iria ressuscitar; elas, como nós, pensavam no presente, e não deram atenção ao que Jesus havia ensinado.

Curas e milagres ainda existem hoje! Porque as vidas de todas as pessoas estão sob o cuidado de Deus. Esta é uma promessa de Jesus: “E eis que estou com vocês todos os dias até o fim dos tempos”! (Mt 28.20). Esses milagres e curas irão acontecer não pelo tamanho de nossa fé, ou por merecermos, mas, sim, unicamente pela graça de Deus.

A fé, como um dom de Deus Espírito Santo (Ef 2.6); as orações, como um pedido de Jesus o Filho (Mt 6.9); e as promessas de Deus Pai (1Jo 2.25), é que nos dão esperança de que Deus sempre faz o que é melhor para cada pessoa, mesmo que isso, muitas vezes, possa não nos fazer sentido.

Páscoa é um milagre, pois nela Jesus venceu a morte, bem como todos os sofrimentos, em nosso favor. Agora, porém, esperamos outro grande milagre, que irá acontecer quando Jesus voltar e fizer os mortos ressuscitarem, e transformar o corpo dos que estiverem vivos em um corpo perfeito e santo, e recolher todos que tiveram seus nomes inscritos no livro da vida.

E enquanto aguardamos esse grande dia e milagre, Deus nos convida a estudarmos a sua Palavra, o louvarmos e o adorarmos, sempre que ele nos der as oportunidades, nos cultos, estudos de departamentos, nas orações, e, com fé, dizermos como João ao finalizar sua carta em Apocalipse 22.20: “Vem, Senhor Jesus!” Amém.

Ervino Martim Spitzer
Pastor conselheiro
www.lllb.org.br

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Novos membros são recebidos em Nova Petrópolis, RS

Culto da Santíssima Trindade teve batismo e recepção de novos membros na Congregação São Marcos

Veja também

Novos membros são recebidos em Nova Petrópolis, RS

Culto da Santíssima Trindade teve batismo e recepção de novos membros na Congregação São Marcos

Enchente no RS provoca mudanças no Simpósio de Missão

Programação do Seminário Concórdia será reduzida e online. Inscrições podem ser feitas até o dia 21 de junho

Saúde mental em meio a desastres e catástrofes

A busca por autoconhecimento é sempre fundamental, ter ciência das suas habilidades, quando e onde tem condições físicas e emocionais para atuar é fundamental. Confira algumas dicas de como lidar com as emoções em cada fase