Celebrar? Alegrar-se? Sempre!

Há pessoas brincando que não vão sentir falta do ano de 2020 e que arrancarão do calendário os meses de pandemia que estamos vivendo. Quantos planejamentos para formaturas, casamentos, aniversários precisaram ser refeitos, adiados, cancelados ou celebrados de forma virtual. Quanta frustração!

Passamos por isso em nossa família com a celebração do primeiro ano de vida do Teodoro, nosso filho caçula. Quando iniciou o isolamento, pensamos que daria tempo de voltar tudo ao normal até o dia 30 de junho. Porém, a data foi se aproximando, e com ela uma série de sentimentos. Acabamos celebrando, em casa, com poucas pessoas, bolo, docinhos, balões, decoração e o parabéns cantado com muito carinho pelos parentes e padrinhos conectados pela internet.

Refleti muito sobre este momento à luz da Palavra de Deus e orando. Foi consolador lembrar do apóstolo Paulo, que mesmo na prisão, escrevia cartas aos irmãos na fé falando sobre viver contente em qualquer situação. Em Romanos 12.12, ele escreve: “Que a esperança que vocês têm os mantenha alegres; aguentem com paciência os sofrimentos e orem sempre”.

Por isso, ao invés de tirar os meses do calendário, neste ano eu vou celebrar meu aniversário de um jeito ainda mais diferente. Por causa da pandemia, meu marido e eu tivemos a bênção de acompanhar de perto nosso filho de 4 anos, o Rafael, aprendendo a dizer os dias da semana, os meses do ano, a fazer inúmeros cálculos. Ao descobrir que um ano equivale a 12 meses, e por celebrar os “mesversários” do mano, ele tem contado as nossas idades assim. Em julho, ele me perguntou quantos meses eu estaria fazendo, agora no dia 13 de agosto. Confesso que nunca tinha parado para calcular. Juntos, descobrimos que é uma linda idade. Estou completando 444 meses de vida!

Outro motivo que sempre me faz celebrar essa data com mais alegria é por ser o mesmo dia da Editora Concórdia que, em 2020, está completando 97 anos ou 1.164 meses. Sua trajetória tem sido cheia de bênçãos, mas também de desafios e preocupações. Especialmente neste ano, a crise editorial ficou ainda mais forte por conta do coronavírus e também tem atingido nossa Concórdia. Mas ela segue cumprindo sua missão com alegria, produzindo diversos materiais e fazendo o Mensageiro Luterano chegar aos nossos lares mesmo em tempos de distanciamento, seja de forma impressa ou virtual. Isso tudo graças a Deus, às pessoas que trabalham com tanta dedicação na Editora e graças a você que compra os produtos, lê, assina e divulga esta importante revista.

Em nossa vida pessoal, no trabalho, nas atividades da igreja podemos escolher ficar paralisados, com medo, tristes ou achar novas formas de seguir em frente com esperança de dias melhores, celebrando a vida do jeito que é possível nesse momento e preservando ao máximo a nossa saúde e a saúde do próximo também, sempre com alegria! Afinal, em Provérbios 17.22 está escrito, “A alegria faz bem à saúde; estar sempre triste é morrer aos poucos”.

Nem sempre teremos dias bons, mas, como cristãos, sabemos que o céu é o nosso lar! E está garantido. Por isso, até que o Senhor nos chame à morada celeste, vamos marcar em nosso calendário cada dia, mês e ano celebrando com o coração agradecido, cheio de paz e alegria, tendo sempre a esperança de que dias melhores virão. “Que Deus, que nos dá essa esperança, encha vocês de alegria e de paz, por meio da fé que vocês têm nele, a fim de que a esperança de vocês aumente pelo poder do Espírito Santo!” (Rm 15.13).


Aline Gehm Koller Albrecht

Vice-presidente de Comunicação da IELB

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Ovelhas geram ovelhas. Pastores apascentam ovelhas

No evangelho de João 10.11,14, Jesus é o “Bom Pastor” que apascenta e gera, espiritualmente, as ovelhas que escutam sua voz e que o conhecem e são por ele conhecidas.

Veja também

Ovelhas geram ovelhas. Pastores apascentam ovelhas

No evangelho de João 10.11,14, Jesus é o “Bom Pastor” que apascenta e gera, espiritualmente, as ovelhas que escutam sua voz e que o conhecem e são por ele conhecidas.

Cheiro de salvação

O texto de 2 Coríntios 2.14 diz assim: “Como um perfume que se espalha por todos os lugares, somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas”.

Quem está nas trincheiras ao seu lado?

Quando a gente casa, traz uma bagagem para a vida a dois. Nessa bagagem, estão os valores aprendidos em casa, as experiências de relacionamentos anteriores, nossa profissão talvez, sonhos e desejos.