Cheiro de salvação

O texto de 2 Coríntios 2.14 diz assim: “Como um perfume que se espalha por todos os lugares, somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas”.

Em meio à luta pelo recomeço, o povo gaúcho continua apreciando momentos simples e preciosos. Um bom chimarrão. Uma boa conversa. E, especialmente nesta época do ano, apreciar uma boa bergamota. Com sua cor típica, enfeita as árvores. Com seu sabor tradicional, alimenta o povo. E com seu aroma tão característico, marca quem dela se alimentou.

Sim, verdade. Quem descasca uma bergamota e dela se alimenta, carrega nas mãos e na roupa o seu clássico aroma. É forte e inconfundível. Não tem essa de ir ali comer uma bergamota em segredo! Esqueça! Essa fruta tem o poder de marcar quem dela se alimenta.

Porventura, pode ser que um cristão não se dê conta. Mas quando seu coração está alimentado em Cristo, sua vida também carrega o aroma da salvação. Por onde quer que ele vá. O texto de 2Coríntios 2.14 diz assim: “Como um perfume que se espalha por todos os lugares, somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas”.

Nosso coração, por si só, jamais exalará este aroma de salvação. Dele, é natural que saiam apenas indiferenças, revoltas, rancores e tantos outros adjetivos que descrevem a podridão que há até mesmo por debaixo de uma vida bem resolvida, feliz e estável. Para carregar o aroma da salvação, é preciso alimentar-se em Cristo. Na sua Palavra. Na sua ceia. No seu amor e perdão. Aí, sim. Não haverá como esconder. As marcas da cruz estarão presentes. E perceptíveis aos outros.

Deve haver gente que não gosta do cheiro de bergamota. E isso nos lembra de que o aroma da salvação nem sempre será agradável. Para uns, o aroma de Cristo é cheiro de vida. Mas para outros, é cheiro de morte. Não a morte do Salvador, porque ele está vivo, ressuscitado, e um dia voltará do alto trazendo seu juízo. É cheiro de morte de si mesmos, que torcem o nariz para a mensagem da cruz. É cheiro de suas próprias mortes. Cedo ou tarde, o juízo virá. Disso, a Palavra nos ensina em 2Coríntios 2.16: “Para os que estão se perdendo, é um cheiro que mata; mas, para os que estão sendo salvos, é um perfume muito agradável que dá vida”.

Então fica a dica: da próxima vez que você comer uma bergamota, lembre-se. Em suas mãos também está o cheiro da salvação. Quem de Cristo se alimenta, carrega em si o aroma da vida eterna. 

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Emergindo das águas: Um novo começo

A nossa querida Editora Concórdia irá se reerguer e continuará a ser a editora da teologia bíblica e confessional que herdamos da Reforma. Publicando a Palavra que permanece.

Veja também

Emergindo das águas: Um novo começo

A nossa querida Editora Concórdia irá se reerguer e continuará a ser a editora da teologia bíblica e confessional que herdamos da Reforma. Publicando a Palavra que permanece.

Um fim em comum!

E para cumprir com seu propósito, a IELB: utilizará os meios de comunicação; produzirá e distribuirá livros e material religioso, fundando e mantendo organizações com essa finalidade. Esse é o porquê de a Igreja ter uma editora.

14º Encontro Nacional de Escolas Luteranas (14º ENEL)

Em 1524, Lutero elaborou um documento que lançaria as bases de conceitos como educação pública e gratuita, universalização do ensino, ludicidade no processo ensino-aprendizagem, educação interacionista, protagonismo do aluno, aprendizagem significativa e de uma educação com propósitos existenciais, fundamentada nos princípios cristãos.