Solidão: ser invisível em meio aos outros

Cada vez mais pessoas no mundo vivem sozinhas e, portanto, maiores são as probabilidades de enfrentar os sentimentos ocasionados pela solidão

Thiago Heine
Psicólogo
www.thiagoheinepsico.com  

Por mais antagônico que seja, nós temos uma companheira durante a vida que, vira e mexe, aparece e dá as caras, a solidão. E não, nem sempre é agradável.

Mas, vamos lá, por mais claros que sejam a palavra e o significado, o que é solidão?

Solidão é um sentimento negativo e complexo de desconexão com o mundo, as coisas e as pessoas. Uma condição que trará, muitas vezes, dor, angústia e tristeza.

E quais as causas desse sentimento?

Gosto de listar seis causas que acredito resumirem bem a origem da solidão (pelo menos, no momento atual):

  • Tecnológica: a internet e as redes sociais trazem a fragilidade dos laços humanos. Claro que encurtaram distâncias, e, usadas com consciência, possibilitam muitas coisas boas; mas em matéria de relações, são uma das razões de muitas pessoas sentirem-se sós.
  • Mobilidade: antigamente as pessoas nasciam, cresciam e morriam no mesmo lugar. Hoje em dia, com o avanço da tecnologia e dos transportes, as mudanças são mais comuns. Isso faz com que possam existir obstáculos quanto à duração e manutenção de vínculos afetivos.
  • Pessoal: somos seres com necessidades básicas de cuidado e afeto, precisamos receber a proteção e o amor ao longo da vida, principalmente nas fases de desenvolvimento iniciais. Caso não recebamos, poderemos desenvolver uma falta no nosso emocional que nos trará sentimentos de rejeição e afastamento das pessoas e situações.
  • Psicológica: quantas vezes, ao nos sentirmos com, por exemplo, uma baixa autoestima, não nos sentimos distantes das pessoas? O quanto o medo da rejeição pode fazer não nos arriscar com pessoas ou situações e nos manter distantes de tudo e todos?
  • Causalidade: por vezes, nos vemos em situações nas quais, independentemente de sermos responsáveis ou não, nos sentimos sozinhos. Um término de relacionamento, o desemprego, a morte de alguém próximo, o processo de luto.
  • Espiritual: pessoas que, por não crerem ou acreditarem em nada, se questionam acerca de propósito de vida, de onde vieram, para onde irão, mas não em um sentido apenas filosófico, mas carregado de aflição e medo de estar/ficar sozinho.

Cada vez mais pessoas no mundo vivem sozinhas. Apenas no Brasil, no último censo do IBGE de 2023, foi levantado o número de 11 milhões de pessoas vivendo sós. Isso não é um problema, afinal levar uma vida sozinho não quer dizer que você sentirá solidão, da mesma forma que levar uma vida com alguém não quer dizer que você não poderá sentir-se só também.

Contudo, com cada vez mais pessoas vivendo sob essa dinâmica, maiores as probabilidades de enfrentar tais sentimentos aqui referidos.

Importante aqui ressaltar que, sentir solidão não é um problema, é algo comum a todos os seres humanos e culturas, porém manter-se neste sentimento por um longo período, ou observar a qualidade de vida sendo prejudicada, é o alerta e um convite para olhar mais atentamente para a questão.

E a tal da solitude, hein?

Pois é, a solitude é uma “solidão saudável”, digamos assim. É a busca por nos retirarmos e nos afastarmos um pouco das pessoas, das coisas e do mundo, e entrarmos em contato com nós mesmos.

Em casa tem sempre a TV ligada? Mal começou a cozinhar ou entrou no carro e já liga o rádio? Vai dar uma volta e o fone de ouvido ou o livro estão por ali? Legal, eu gosto de todas essas opções, mas com equilíbrio. Se, de alguma forma, eu não suportar a minha própria companhia e necessitar de uma distração, eu estou usando isso como fuga e, aí sim, teremos um probleminha.

Vivemos em um mundo que nos bombardeia de estímulos o tempo todo, e achar esses espaços de introspecção é também uma responsabilidade e uma ação nossa.

Como eu estou? Como estão as minhas frustrações? E as minhas alegrias? Tenho planos a curto, médio ou longo prazo? E as minhas relações (comigo mesmo, amorosas, de amizade ou família), estão sendo de qualidade? Olhem o tanto de coisas sobre as quais podemos refletir e praticar o autocuidado.

Falemos mais sobre a nossa solidão, ou no mínimo, entremos mais em contato com o assunto para ganhar mais conhecimento sobre, e, assim, melhor ajudar a nós mesmos e ao nosso próximo.

Se você sente que está difícil, e sozinho não está dando conta, fale comigo, entre em contato. O processo de psicoterapia com certeza poderá ajudá-lo muito.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Novos membros são recebidos em Nova Petrópolis, RS

Culto da Santíssima Trindade teve batismo e recepção de novos membros na Congregação São Marcos

Veja também

Novos membros são recebidos em Nova Petrópolis, RS

Culto da Santíssima Trindade teve batismo e recepção de novos membros na Congregação São Marcos

Enchente no RS provoca mudanças no Simpósio de Missão

Programação do Seminário Concórdia será reduzida e online. Inscrições podem ser feitas até o dia 21 de junho

Saúde mental em meio a desastres e catástrofes

A busca por autoconhecimento é sempre fundamental, ter ciência das suas habilidades, quando e onde tem condições físicas e emocionais para atuar é fundamental. Confira algumas dicas de como lidar com as emoções em cada fase