Distrito Videiras realiza Cultão e Encontro de Famílias

O XXXIII Cultão e Encontro de Famílias do Distrito Videiras foi realizado no dia 23 de outubro, em Caxias do Sul, RS. Junto a essa programação também ocorreu o Congresso das Crianças.

Na parte da manhã, houve o culto, oficiado pelos pastores do Distrito e a pregação pelo Rev. Alisson Henn, baseado no texto bíblico de João 8.31-36. Na parte da tarde, houve a palestra sob o tema “Família, Projeto de Deus”, ministrada pelo Rev. Fernando Garske, vice-presidente de Educação Cristã da IELB.

“Com certeza foi um domingo edificante e gratificante! Uma bênção de Deus ver sua família e esse Distrito Videiras reunidos e sendo fortalecidos na Palavra. Que possamos continuar sendo ramos conectados na videira verdadeira: Cristo Jesus!”, afirmou o Conselheiro distrital, Rev. Leandro Born.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Saúde mental em meio a desastres e catástrofes

A busca por autoconhecimento é sempre fundamental, ter ciência das suas habilidades, quando e onde tem condições físicas e emocionais para atuar é fundamental. Confira algumas dicas de como lidar com as emoções em cada fase

Veja também

Saúde mental em meio a desastres e catástrofes

A busca por autoconhecimento é sempre fundamental, ter ciência das suas habilidades, quando e onde tem condições físicas e emocionais para atuar é fundamental. Confira algumas dicas de como lidar com as emoções em cada fase

Livres para servir: o papel da religião na promoção do bem comum

A realização dos ideais religiosos depende da preservação da liberdade religiosa – o direito fundamental de praticar, expressar e manifestar suas crenças sem discriminação ou perseguição. Defender a liberdade religiosa não é apenas uma obrigação legal, mas um imperativo moral que garante o florescimento de diversas comunidades religiosas e promove um ambiente propício ao diálogo e à cooperação

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó