Esposas de pastores realizam encontro

Foi realizado entre os dias 21 e 23 de abril, em Florianópolis, SC, o 3º Encontro Nacional de Esposas de Pastores da IELB. Com o tema “Esposa de pastor: uma flor mesmo frágil, Deus a faz forte”, e o lema “Como um lírio entre os espinhos, assim é a minha amada entre as outras mulheres” (Cântico dos Cânticos 2.2), o encontro que reuniu 59 pessoas, contou com momentos de reflexão, comunhão e descontração.

Além da acolhida e devoção especial, a sexta-feira foi marcada pela palestra sobre o tema do Encontro, ministrada pela psicóloga Núbia Pietzsch, que prendeu a atenção e motivou a participação das presentes. E a noite, o momento de descontração, com karaokê rendeu muita diversão e boas risadas.

No sábado pela manhã, após momento de louvor e devoção, o pastor Paulo Moises Nerbas, falou sobre “Esposa de pastor: Acarinhada por Deus”, lembrando o privilégio que é estar ao lado de alguém que Jesus usa para chegar com sua graça na vida das pessoas. Após o jantar, louvor e devoção, foi realizada a Noite artística que contou com música, dança, encenação e testemunho.

No domingo, o culto oficiado pelos pastores Huberto Hasse e Martinho Sonntag, teve como pregador o presidente da IELB, pastor Geraldo Schüler. No momento foi realizada uma oração pedindo a bênção de Deus sobre a nova comissão organizadora do ENEP, presidida por Isabel Blum Schneider.

Para Márcia Wiltgen, de Concórdia, SC, que organizou o evento juntamente com Kátia Skolaude e Mara Suhre, o momento é de gratidão. “Estamos felizes por cada uma que participou do nosso evento. Agradecemos as 59 pessoas que fizeram a sua inscrição para esse momento tão especial. Queremos agradecer por toda programação, palestrantes, momentos de integração e também o culto”, comenta.

Desde a abertura na sexta-feira à tarde até o encerramento no domingo com almoço, as mulheres foram acarinhadas pela comissão organizadora com diferentes presentes, muitos destes, doados por servas e congregações de Santa Catarina. Durante os três dias, as mulheres tiveram oportunidade de conversar, crescer e se fortalecer mutuamente em união e no amor de Deus. O próximo ENEP acontecerá em 2025.

Depoimentos:

“ENEP maravilhoso. Não poderia ter sido melhor: organização, hotel, refeições, escolha do tema, escolha dos palestrantes, momentos de descontração. Enfim, tudo MARAVILHOSO. Além de encontrar amigas que há um tempo não víamos, fazer novas amizades e conviver com cada uma que esteve lá foi maravilhoso.”

Marilene Jurk Hegele, Marcelino Ramos, RS

“Meu primeiro ENEP foi um bálsamo de amor, carinho, alegria e comunhão. Edificação nas maravilhosas palestras, nas devoções e dinâmicas. Tudo foi lindo. Só gratidão e a certeza que no que depender de mim, estarei nos próximos encontros e vou animar a quem eu encontrar para estar lá com a gente.”

Simone Pinheiro, Santa Rosa, RS

“Nosso encontro foi maravilhoso, só gratidão as meninas que organizaram e aos palestrantes, que nos trouxeram lindas palavras. Volto pra casa, e sigo refletindo sobre tudo que foi falado. Ansiosa pelo próximo. Foi um prazer fazer novas amizades, pessoas tão especiais que aos poucos Deus vai colocando em nosso caminho, e claro poder rever rostinhos queridos que estão no meu coração por onde eu for.”

Fabiula Bredow, Imbituva, PR

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

Veja também

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

A subjetividade contemporânea do rolar a tela do celular

O Tik Tok passa a predominar e compor o mundo intrapsíquico do ser humano. E tal composição atinge milhões de pessoas, como uma espécie de hipnose pandêmica.

A dolorosa volta para casa

Após 20 ou mais dias, vítimas da enchente no RS começam a retornar aos seus lares para limpeza e reconstrução