Colégio Luterano Rui Barbosa, de Marechal Cândido Rondon, PR, comemora 65 anos

O Colégio Luterano Rui Barbosa, de Marechal Cândido Rondon, PR, celebrou nesta quarta-feira, 1º de julho, os 65 anos de fundação. Para marcar a data especial, foi realizado um culto de gratidão conduzido pelo diretor do colégio, pastor Cleudimar Robeson Wulff, na Congregação Evangélica Luterana Cristo.

Devido à pandemia do Coronavírus, a celebração foi realizada de forma presencial e também on-line, possibilitando o acesso de alunos, familiares, colaboradores, membros da congregação e comunidade em geral. Na ocasião, esteve presente o pastor local, Rev. Davi Bischoff, e o presidente da Associação do Instituto Assistencial e Vocacional Rui Barbosa (AIVARB), Douglas André Roesler.

A mensagem teve como tema “Missão, visão e valores bem definidos, movem a nossa história” e buscou refletir sobre o propósito da vida do cristão, enaltecendo que a grande missão da igreja é proclamar o perdão e o grande amor de Deus. “Em meio a este mundo caótico em que vivemos, temos que ter sempre em mente a nossa missão, tendo a visão de que Deus está sempre conosco”, relata o pastor Cleudimar.

O colégio é dirigido pela AIVARB, tendo como mantenedora as congregações luteranas: Alvorada, Cristo, Cristo é Vida, São Paulo e Simão de Linha Arara, de Marechal Cândido Rondon.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Você já reclamou de um presente dado por Deus?

“Quem vem aí?”, me perguntou uma senhora na saída do culto. Ao responder que era mais um menino, ela disse: “Ah, não!! Tinha que ser uma menina!” Quase sem acreditar no que ouvi, questionei: “Por quê? Não mesmo! Quando Deus envia o presente, a gente aceita com gratidão”.

Veja também

Você já reclamou de um presente dado por Deus?

“Quem vem aí?”, me perguntou uma senhora na saída do culto. Ao responder que era mais um menino, ela disse: “Ah, não!! Tinha que ser uma menina!” Quase sem acreditar no que ouvi, questionei: “Por quê? Não mesmo! Quando Deus envia o presente, a gente aceita com gratidão”.

Dores que fazem crescer

“Feliz é aquele que nas aflições continua fiel! Porque, depois de sair aprovado dessas aflições, receberá como prêmio a vida que Deus promete aos que o amam” (Tg 1.12).

O que alimenta nossa fé?

Esse foi o tema do Congresso de Servas e Leigos do DIVALI