Deus é justo na injustiça humana!

“Isso não é justo!” “Vivemos em um mundo de injustiças!” Frases como essas são ditas e ouvidas a todo instante. Muitos acontecimentos diários podem nos parecer injustos em nossa vida! A injustiça pode ser cometida por palavra, quando se emite um julgamento sobre uma situação ou fato, porém a injustiça também pode ser cometida por uma ação, quando erramos o alvo.

A palavra “injustiça” tem sinônimos como pecado e iniquidade. Isso nos mostra que injustiça é errado, independente se é cometida por palavra ou ação. A injustiça é algo que faz parte da vida de todos os seres humanos, cristãos e não cristãos.

Muitas vezes somos confrontados em nosso dia a dia com situações que nos deixam a pensar sobre justiça ou injustiça. Quando uma pessoa de quem gostamos e a quem estimamos muito passa por algum desafio da vida, seja enfermidade, solidão ou até mesmo uma situação financeira difícil, às vezes, dizemos: “A vida é injusta!”

A injustiça pode acontecer na vida pessoal ou social. Isso nos mostra que o pecado é o causador da injustiça. Cristo Jesus, sendo justo e perfeito, tomou sobre si a injustiça de todos, como nos diz 1Pedro 3.18: Pois também Cristo padeceu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir vocês a Deus; morto, sim, na carne, mas vivificado no espírito […]. Assim, vemos que a injustiça pertence somente ao ser humano, pois é pecado. Ela nunca pertence a Deus, pois ele é justo e santo! Mesmo quando Deus permite que as pessoas sejam acometidas pelas causas do pecado, isso não é de sua vontade, pois Deus nunca comete injustiças.

Isso fica mais claro e compreensível quando olhamos para os ensinos de Jesus; certa vez, quando os discípulos lhe perguntaram sobre o sofrimento de um jovem que havia nascido cego, Jesus lhes respondeu que a causa não tinha disso o pecado dele ou de seus pais, mas para que a glória de Deus fosse manifestada. “Enquanto Jesus caminhava, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos perguntaram:

– Mestre, quem pecou para que este homem nascesse cego? Ele ou os pais dele? Jesus respondeu:

– Nem ele pecou, nem os pais dele; mas isso aconteceu para que nele se manifestem as obras de Deus” (Jo 9.1-3).

Dessa forma, os discípulos entenderam que Deus não tem prazer na injustiça, mas, sim, na justiça e na perfeição. Ao ser humano, pode parecer que a vida, muitas vezes, é injusta, principalmente quando procuramos fazer o bem, ajudar o nosso semelhante e seguir os ensinos de Jesus. Mas ele nos ensina que a nós não cabe julgar o que é ou não justo.

Jesus nos mostra, em sua palavra, que tanto na justiça como na injustiça ele está presente. Na justiça, ele mostra que Deus é soberano e sempre terá todas as coisas em seu controle. Na injustiça, ele dá força e perseverança, para que o pecado e o erro sejam vencidos.

Mesmo que muitas vezes a vida possa parecer injusta, lembre-se de que Deus sempre é justo! Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça (1Jo 1.9).

Ervino Martim Spitzer

Pastor Conselheiro

www.lllb.org.br

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Nossa oração mudou

   ”Deus, abençoe as pessoas pobres e ricas que perderam tudo na enchente. Que elas consigam o que vestir, o que comer e uma casa para morar”

Veja também

Nossa oração mudou

   ”Deus, abençoe as pessoas pobres e ricas que perderam tudo na enchente. Que elas consigam o que vestir, o que comer e uma casa para morar”

ANEL participa de Congresso Nacional de Escolas Luteranas da Argentina

Presidente Marlus Seling, diretor-executivo Nelci Senger e vice-presidente de Ensino da IELB, Joel Muller, representaram o Brasil no evento que reuniu mais de 300 participantes

O surgimento de uma tradição cristã

Participaram das aulas 19 alunos de diversos lugares do Brasil e do continente americano, tais como Canadá, México, Venezuela e Paraguai.