A união que nos torna fortes




Um dos períodos marcantes da
história do povo de Deus no Antigo Testamento foi quando, depois de 70 anos de
cativeiro, alguns integrantes das tribos do Sul puderam retornar às suas
terras, às suas cidades, ao seu país. No entanto, as suas terras estavam
ocupadas por outros povos, o templo e os muros da cidade estavam em ruínas e
muitas coisas precisavam ser feitas com urgência para que a retomada da vida
naquele lugar pudesse ocorrer.

Foi neste contexto que a
parceria entre um sacerdote, Esdras, e um leigo, Neemias, fez toda a
diferença.  Sob a liderança pastoral de
Esdras e a liderança administrativa de Neemias, de forma organizada e heroica,
lutando contra tudo e contra todos, em tempo recorde, os judeus reconstruíram a
nação e o templo e retomaram a vida rotineira em sua própria terra.

E foi desta nação, no tempo
oportuno (Gl 4.4), que nasceu Jesus, o nosso amado Senhor e Salvador de toda a
humanidade. Vemos, portanto, que Deus, para realizar o seu gracioso plano da
salvação, fez uso de uma preciosa parceria, na qual ele utilizou-se de um
sacerdote, de um leigo e de todo o povo.

O plano da salvação em Cristo
já foi realizado por Deus. Ao vir ao mundo, cumprir a lei e morrer em nosso
lugar na cruz, Jesus já realizou plenamente a obra da salvação. Mas ainda há
algo muito importante e urgente a ser feito, e esta obra Jesus delegou à sua igreja,
a saber, levar a boa nova da salvação a toda humanidade.

A Igreja Evangélica Luterana
do Brasil (IELB) tem o privilégio de participar desta obra. As portas se abrem,
e os desafios se nos apresentam no Brasil e no mundo. Há muito a ser feito, e
com urgência! E para que o trabalho seja feito com excelência, é preciso que
imitemos o povo do Antigo Testamento, é preciso que mantenhamos a parceria
entre os líderes da igreja e todos os seus membros.

A Diretoria Nacional (DN) e a
Diretoria do Conselho Diretor da IELB (CD) têm dialogado e realizado reuniões
para planejar e fortalecer as parcerias necessárias e possíveis para o bom
andamento dos trabalhos na IELB. E uma dessas ações você verá aqui neste espaço
do Mensageiro Luterano. A partir de agora, com a exceção dos meses em
que celebramos as duas principais festas do calendário cristão, Natal e Páscoa,
você sempre encontrará a página do Conselho Diretor e a página da Diretoria
Nacional, lado a lado. Neste mês, estas páginas foram produzidas por mim e pelo
presidente do CD, Juliano Schneider Belz, e nos demais meses serão produzidas pelos
departamentos do CD e os respectivos vice-presidentes da IELB.

O objetivo é fortalecer a
parceria entre aquele que administra a IELB nos períodos entre as suas
convenções nacionais, o Conselho Diretor, e aquela que executa as resoluções
tomadas pela igreja, a Diretoria Nacional. Mas, em última análise, esta
parceria tem por finalidade aperfeiçoar a nossa missão de levar Cristo para
Todos.

Que possamos trabalhar no
espírito recomendado pelo apóstolo Paulo aos coríntios:
Portanto, meus amados irmãos,
sejam firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que,
no Senhor, o trabalho de vocês não é vão”

(1Co
15.58).

E que este espírito de
parceria e de abundante obra no Senhor também guie as ações nos distritos, nas
congregações e em todas as famílias da IELB!

Deus abençoe a todos nós!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Você já reclamou de um presente dado por Deus?

“Quem vem aí?”, me perguntou uma senhora na saída do culto. Ao responder que era mais um menino, ela disse: “Ah, não!! Tinha que ser uma menina!” Quase sem acreditar no que ouvi, questionei: “Por quê? Não mesmo! Quando Deus envia o presente, a gente aceita com gratidão”.

Veja também

Você já reclamou de um presente dado por Deus?

“Quem vem aí?”, me perguntou uma senhora na saída do culto. Ao responder que era mais um menino, ela disse: “Ah, não!! Tinha que ser uma menina!” Quase sem acreditar no que ouvi, questionei: “Por quê? Não mesmo! Quando Deus envia o presente, a gente aceita com gratidão”.

Dores que fazem crescer

“Feliz é aquele que nas aflições continua fiel! Porque, depois de sair aprovado dessas aflições, receberá como prêmio a vida que Deus promete aos que o amam” (Tg 1.12).

O que alimenta nossa fé?

Esse foi o tema do Congresso de Servas e Leigos do DIVALI