Projeto Missionário do Distrito Vale do Rio Pardo

No dia 17 de novembro, a Congregação Evangélica Luterana da Santa Cruz, de Santa Cruz do Sul, RS, através da Liga de Servas Luteranas do Brasil (LSLB) do Distrito do Vale do Rio Pardo (DIVARP), repassou ao Hospital Ana Nery a doação de R$ 5 mil para ser investido no setor oncológico.

O repasse foi formalizado pelo Conselheiro Distrital, pastor Edelberto Stachovski, pelo pastor Edemar Fuhrmann e pelas Servas Luteranas Rosely Hannemann, Veronilda Marques e Denise Petry, que foram recebidos pela gerente de pessoas e apoio, Cátia Gollmann Pretto, e pelo gerente administrativo do hospital, Celcio da Silveira Junior.

O gerente administrativo Celcio agradeceu a doação viabilizada pela Liga, frisando a importância de poder contar com o apoio dos mais diversos setores da comunidade.

Além do hospital, foram beneficiadas duas associações da cidade com R$ 4 mil cada, através da aquisição de caixas de leite (500 litros para cada uma). São elas: a Associação de Auxílio aos Necessitados (ASAN), fundada em 04 de novembro de 1948, e atualmente conta com 70 residentes internos; e a Associação Comunitária Pró-Amparo do Menor (COPAME).

Segundo a presidente da LSLB/DIVARP, Rosely Hannemann, as doações foram o cumprimento de uma moção aprovada no 33° Congresso de Servas do DIVARP, realizado no dia 21 de agosto de 2022. A moção previa utilizar o valor em caixa oriundo dos 30% da oferta das Sacolinhas de Missão para as três instituições escolhidas.

“Esse valor estava acumulado no caixa do distrito, pois nos últimos 3 anos não ocorreu o Congresso Distrital Infantil do Departamento de Escola Dominical, que é o projeto do distrito”, explicou Rosely.

Juntamente com os valores designados, foi entregue material missionário em forma de folhetos da Hora Luterana, livros infantis e outros.

A diretoria distrital agradece a todas as servas que fizeram sua oferta e pede que continuem ofertando para a missão.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

Veja também

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

A subjetividade contemporânea do rolar a tela do celular

O Tik Tok passa a predominar e compor o mundo intrapsíquico do ser humano. E tal composição atinge milhões de pessoas, como uma espécie de hipnose pandêmica.

A dolorosa volta para casa

Após 20 ou mais dias, vítimas da enchente no RS começam a retornar aos seus lares para limpeza e reconstrução