Enchentes no Rio Grande do Sul

A tragédia que tem assolado o Rio Grande no Sul nos últimos dias tem deixado muitos estragos. Muitas pessoas perderam seus bens, sua casa, sua esperança e, inclusive, familiares e amigos. As proporções dessa tragédia são catastróficas.

Acesse aqui o site específico sobre a enchente e saiba como ajudar.

Segundo o coordenador do Fundo de Apoio a Projetos (FAPI) e vice-presidente de Ação Social da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB), Airton Schroeder, “essa catástrofe não tem precedentes. Mas ela mostra para nós cristãos que apenas a criação foi afetada. O Criador permanece o mesmo ontem, hoje e para sempre. E o Criador tem mostrado sua misericórdia por meio de cristãos e não cristãos, cuidando uns dos outros. Mas tem demonstrado especialmente a sua misericórdia por meio daqueles que, em meio à tragédia, olham para a cruz e percebem que a vida humana na Terra é passageira e testemunham o amor de Jesus Cristo em palavras e ações, trabalhando para minimizar o sofrimento do próximo”.

Estima-se que somente na região metropolitana de Porto Alegre, RS, por exemplo, cerca de 242 mil domicílios tenham sido afetados. Sem contar as demais regiões do estado, algumas atingidas pela segunda vez em oito meses. Dentre estes, muitas congregações luteranas, pastores e seus membros. “Neste momento sabemos de sete pastores que tiveram perda total do que estava dentro de casa. Alguns conseguiram colocar algumas coisas no carro e levar, outros perderam inclusive o carro. Todos estão abrigados e trabalhando, esperando que as águas baixem para cuidar de toda a sua membresia. Os pastores estão descrevendo as suas situações ao coordenador do Fapi, órgão responsável pelo Fundo de Resposta a Desastres, para que se possa ter conhecimento das necessidades e das oportunidades que a igreja tem para estabilizar a vida desses pastores, para que possam continuar pastoreando o seu rebanho com dignidade, com leveza e, especialmente, na misericórdia de Jesus”, revela o pastor Airton.

Templos e membros

Até agora, sabe-se de 14 templos atingidos de alguma maneira. Alguns em que a água entrou, como é o caso da Congregação Cristo, de Porto Alegre, outros em que a água entrou como enxurrada, como a Congregação Cristo, de Três Coroas, ou outros que estão embaixo d’água, como a Congregação São João, de Novo Hamburgo. O pastor Airton alerta que ainda não se tem um levantamento do que significam os estragos em cada local, mas trabalha-se com o fato de, inclusive, mudar algumas congregações de endereço, por estarem em áreas muito vulneráveis. São congregações maiores ou menores em número de membros, mas que sofreram danos significativos em seus templos.

Quanto à membresia, também é muito difícil calcular ainda neste momento. As cheias afetaram regiões de grande população luterana da IELB, e, com isso, sabe-se que, por um lado, muitas casas foram afetadas e, por outro, a maioria das famílias foi acolhida por outros membros. Porém, as perdas materiais são incalculáveis.

Na terça-feira, dia 7, a Diretoria da IELB teve uma reunião com pastores e lideranças de todas as regiões e distritos afetados até o momento, orientando que façam um levantamento assim que possível. “Isso vai demorar, pois mesmo na região de Roca Sales, Marques de Souza, Forquetinha, Lajeado, onde a água já baixou, ainda não há acesso pelas vias do interior para as pequenas congregações, e a telefonia não está restaurada. Eu trabalho com milhares de luteranos com perdas parciais e totais. A região dos distritos em que ficam as cidades de Rio Pardo, Candelária, Santa Cruz, Venâncio Aires, as perdas não foram tão grandes. Afetou muita gente, porém as águas baixaram mais rápido. Mas os números também são assustadores quanto ao volume de pessoas afetadas. Como estas cidades estão enfrentando o primeiro grande desastre, ainda havia capacidade das famílias e dos governos locais de responder rapidamente”, reflete o coordenador.

Ainda, segundo o pastor Airton, “a região que envolve Três Coroas, Igrejinha, Taquara, está com um cenário mediano. Houve muita perda, muitas casas afetadas, muitas famílias, mas foi tudo muito rápido. A velocidade da água fez muito estrago, mas com a mesma velocidade ela também deixou os espaços, e, com isso, as pessoas já estão trabalhando muito na recomposição da sua vida, de recolocação nas casas e tudo mais, mas a precariedade é muito grande. Neste contexto também está a região de Alto Rolante e Rolante, que estão um pouco mais adiantadas no retorno para casa, mas seguem um tanto isoladas para a recepção de doações, porque as rotas pela Serra ou por Porto Alegre não permitem chegar ao local”.

“Já na região da Grande Porto Alegre, nós estamos orando para que os ventos sejam favoráveis e a água baixe. Não temos a mínima ideia de quantas mil pessoas luteranas estão afetadas, mas temos a esperança de poder ajudar todas elas no mínimo necessário para viver”, completa o pastor.

A Editora Concórdia, com sede em Porto Alegre, também foi atingida pela enchente. Ainda não é possível saber o tamanho das perdas na Editora, pois as ruas da região ainda estão cobertas de água. Saiba mais aqui.

Unidos pelo RS

Neste momento desafiador, sua generosidade pode fazer toda a diferença. Com solidariedade e compaixão, vamos mostrar aos nossos irmãos e irmãs que eles não estão sozinhos. Juntos, podemos ajudar a reconstruir suas vidas e comunidades, trazendo esperança e conforto em tempos de necessidade.
COMO AJUDAR
Doe qualquer valor para o pix [email protected]. As doações de materiais e alimentos devem ser geridas localmente, no seu distrito. As congregações podem dialogar com os coordenadores distritais do FAPI e da Ação Social.

Até o dia 9 de maio de 2024, às 17h35, o total de entradas era de R$1.175.472,41.

Uma grande parte das Congregações está trabalhando com pix direto, recebendo doações e preparando refeições. Nesta semana, o Fundo de Resposta a Desastres (FRD) repassou 214.600,00 para manter e aumentar a capacidade de produção de alimentos prontos, retorno às casas e suprimentos de proteção à vida.

Auxílio

Congregações e distritos Brasil afora estão trabalhando para arrecadar doações de todos os tipos para enviar ao RS. Muitas congregações do próprio Estado abriram suas portas, e, inclusive pessoas que também foram atingidas, trabalham incansavelmente na separação das doações, na produção de marmitas ou nos abrigos.

Em São Leopoldo, o Seminário Concórdia está recebendo pessoas encaminhadas pelo serviço social e secretarias de educação e saúde do município, pois são basicamente idosos e pessoas com necessidades especiais. Alunos, professores e famílias estão engajados fazendo plantões para cuidar dessas pessoas e produzindo e levando alimento para diversos locais.

Já em Canoas, a Universidade Luterana do Brasil abriga mais de 6 mil pessoas. Segundo o reitor, Thomas Heimann, as pessoas estão sendo acolhidas, alimentadas e cuidadas. O grupo CPTerapia, que envolve psicólogos luteranos, também se voluntaria e se coloca à disposição das pessoas prejudicadas pela enchente. Acesse o formulário aqui.

Atenção congregações

SOBRE PEDIDO DO FUNDO DE RESPOSTA A DESASTRES (neste primeiro momento)

  • O pedido deve ser feito pela CONGREGAÇÃO
  • NÃO PRECISA relatório! Relatórios ficam para depois.
  • NÃO É para enviar anexos!
  • O pedido DEVE ser simples, no corpo do e-mail.
  • O pedido DEVE conter a previsão SEMANAL.
  • O pedido DEVE ser repetido toda semana.
  • O pedido deve conter os DADOS BANCÁRIOS da congregação.
  • Não esqueçam de copiar o líder leigo e o pastor conselheiro

Continue doando! Sua doação é muito importante!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

Veja também

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

A subjetividade contemporânea do rolar a tela do celular

O Tik Tok passa a predominar e compor o mundo intrapsíquico do ser humano. E tal composição atinge milhões de pessoas, como uma espécie de hipnose pandêmica.

A dolorosa volta para casa

Após 20 ou mais dias, vítimas da enchente no RS começam a retornar aos seus lares para limpeza e reconstrução