Introdução às confissões luteranas – Sua Atualidade e Relevância

Como e por que surgiram os textos confessionais luteranos do século XVI? O que pretendiam essas confissões e o que alcançaram? Essas e muitas outras perguntas são tratadas nesta obra com objetividade e economia de texto, desdobrando um mapa claro e bem delineado para quem quer visitar, com proveito, cada um dos recantos dos documentos confessionais do Luteranismo, reunidos no Livro de Concórdia, de 1580.

A Reforma do século XVI fez com que, na segunda metade do milênio, a igreja estivesse em permanente estado de alerta quanto à questão essencial: o que é realmente evangelho? Desde a rejeição das proposições luteranas pelo Concílio de Trento até o diálogo católico-luterano que resultou na tentativa de convergência da Declaração Conjunta de Augsburgo em outubro de 1999, necessário é admitir que a questão da confessionalidade em função da fidelidade ao evangelho é vital para a igreja cristã.

Verdade é que a discussão em torno da confessionalidade pode se tornar um fim em si em alguns momentos. Mas onde essa discussão não acontece, o evangelho tende a ser sufocado por práticas, posturas e discursos que o anulam.

Este livro de Erní Walter Seibert, é muito útil a todos que individualmente ou em grupos se disponham a conhecer não somente as Confissões, mas especialmente o pano de fundo em que elas foram criadas. E assim sirva de auxílio e estímulo a que, especialmente hoje, a questão da confessionalidade diante do evangelho permaneça viva entre nós.

AUTOR: Erní Walter Seibert

FORMATO: 14 x 21 cm

NÚMERO DE PÁGINAS: 144

Adquira o livro aqui!

Artigo anterior
Próximo artigo

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Deus nos livre de nós mesmos

Um coração adoentado desta forma jamais conseguiria restaurar, por si só, a salvação jogada fora lá no Éden. Por isso, o perdão e a restauração deste coração corrompido estão unicamente em Jesus

Veja também

Deus nos livre de nós mesmos

Um coração adoentado desta forma jamais conseguiria restaurar, por si só, a salvação jogada fora lá no Éden. Por isso, o perdão e a restauração deste coração corrompido estão unicamente em Jesus

Missão Feliz, RS, completa 8 anos

A missão iniciou em 2016, com seis pessoas e hoje, já são 29 pessoas ativas e alguns visitantes

Setenta anos, a Igreja em missão em Baixo Guandu, ES

Congregação Da Paz celebrou culto festivo no dia 14 de abril