Capelão Gregory Todd

Em maio, o capelão (Contra-almirante) Gregory Todd foi promovido a chefe de capelães da Marinha dos EUA, supervisionando os 1.100 capelães que ministram a cerca de 650.000 funcionários e seus familiares na Marinha, Corpo de Fuzileiros Navais e Guarda Costeira. O interesse de Todd pela capelania militar começou no seminário. Após a formatura, passou vários anos servindo em uma paróquia e na Reserva da Marinha antes de dar o salto para a ativa, onde está desde então. Todd e sua esposa, Teresa, têm cinco filhas e quatro netos e frequentam a Igreja Luterana Emanuel, em Alexandria, Virgínia.

Como você se tornou capelão militar?

Enquanto frequentava o Concordia Seminary, em St. Louis, um amigo me contou sobre um programa de candidato a capelão pelo qual eu poderia ingressar na Marinha em meio período e aprender sobre capelania naval. Era uma espécie de ROTC [Reserve Officer’s Training Force][1] para estudantes de seminário. Como eu cresci em Seattle e adorava o mar, fiquei intrigado. Durante o verão, participei do curso básico de formação de capelão e, francamente, não fiquei tão impressionado. Era muito sobre trabalho em sala de aula e política. Mas no verão seguinte, participei de um curso do Corpo de Fuzileiros Navais. Passamos duas semanas vivendo no campo com os fuzileiros navais, aprendendo como funcionar e ministrar em um ambiente austero. Eu amei! Eu vi isso como uma oportunidade de trazer o evangelho para um ambiente autêntico, áspero e às vezes nervoso.

Quais foram alguns dos destaques da sua carreira?

São tantos! A maioria deles são pequenos e íntimos, não necessariamente envolvendo centenas de pessoas. A capelania é, na maioria das vezes, um cuidado pastoral individual. […] Eu estava no Afeganistão, e um fuzileiro naval pediu para ser batizado. Com mais de 100 de seus companheiros fuzileiros navais por perto, usei a explicação do batismo do Catecismo Menor de Lutero para ensinar a todos o que estávamos fazendo. Três fuzileiros na primeira fila estavam atentos a cada palavra e, quando terminei, os três apareceram e disseram: “O que você acabou de dizer… é isso que queremos!” […] Agora que estou em uma posição superior e sirvo mais como supervisor, a alegria vem de treinar, orientar e capacitar outros no ministério.

Por que os capelães militares são tão importantes?

Sem capelães militares, muitos de nossos membros luteranos que estão nas forças armadas não teriam acesso imediato à Palavra e aos sacramentos. Além disso, capelães servem como um lembrete icônico para o guerreiro de que eles servem dentro de um contexto de algo maior que eles mesmos. […] Finalmente, capelães têm a oportunidade de levar o evangelho à proverbial “praça pública” com toda a sua confusão e desafios. […] No entanto, nesta caótica praça pública, o evangelho de Jesus Cristo tem oportunidade de brilhar.

Quais são as alegrias deste serviço?

O principal deles é dizer a alguém que Cristo morreu na cruz por ele e que seus pecados foram perdoados. Tantos militares me disseram que nunca ouviram isso antes! Que alegria testemunhar o impacto do perdão de Cristo em primeira mão.

Há mais alguma coisa que você queira que a igreja saiba?

Não posso exagerar a oportunidade que temos de alcançar nossa sociedade através da capelania. A Marinha está nos pedindo para aumentar significativamente o Corpo de Capelães, então estamos procurando desesperadamente pastores com espírito de aventura que são chamados para servir. Não é necessário servir uma carreira inteira de 20 anos. Em três a quatro anos, um capelão dará uma contribuição significativa e receberá uma experiência incrível como conselheiro, interagindo com jovens de 18 a 25 anos e engajando-se na praça pública. Eu convidaria todos os nossos pastores a considerá-lo. Através da capelania naval, Deus me abençoou mais do que eu imaginava.

Fonte:

https://engage.lcms.org/

https://engage.lcms.org/q-a-gregory-todd-fall-2022/

Texto original: Megan K. Mertz | Fotografia: Erik M. Lunsford | Edição: Outono de 2022

Autor: Megan K. Mertz

Tradução: Beatriz Raymann



[1] O Reserve Officers’ Training Corps (ROTC) é um programa universitário oferecido em mais de 1.700 faculdades e universidades nos Estados Unidos que prepara jovens adultos para se tornarem oficiais das Forças Armadas dos EUA. Semelhante ao programa CPOR no Brasil.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

Veja também

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

A subjetividade contemporânea do rolar a tela do celular

O Tik Tok passa a predominar e compor o mundo intrapsíquico do ser humano. E tal composição atinge milhões de pessoas, como uma espécie de hipnose pandêmica.

A dolorosa volta para casa

Após 20 ou mais dias, vítimas da enchente no RS começam a retornar aos seus lares para limpeza e reconstrução