O evangelho no livro de Rute

Por que uma história de puro romance estaria na bíblia?

Por Kalitsa Sarine

Rute sempre foi um livro que me inspirou e me acompanhou desde muito nova. Aprendi a ler basicamente com um livreto ilustrado da história de Rute para crianças. Enquanto criança e adolescente, somente via a história como uma bela representação do amor e de lealdade, entretanto sempre me perguntava “por que uma história de puro romance estaria na bíblia? O que isso tem a ver com Jesus e comigo?”. Quando cresci, comecei a estudar mais acerca da teologia bíblica do Antigo Testamento e me deparei com o real significado e mensagem no livro de Rute, e é sobre isso que quero discorrer aqui:

1- Rute, uma moabita, foi enxertada nos campos de Belém durante a festa da colheita, que mais tarde seria o lar dos versículos de Atos 2, nos contando que muitos gentios foram enxertados nos campos da redenção de Cristo. Às vezes me pego maravilhada com esse fato. Boaz não olhou para o passado de Rute. Ele sabia quem ela era antes de se mudar para sua terra, mas tudo o que importava era quem ela era quando escolheu seguir Noemi e seu Deus. Essa é uma grande virtude. Boaz realmente sabia o que era ser justus et pecator.

2- A palavra “cobertura” é a mesma palavra usada para expiação em hebraico. “Estende sobre mim a ponta da tua roupa, pois és o redentor da nossa família!”. Boaz atua como um tipo de Cristo ali mesmo, cobrindo-a sob seu manto, bem antes do dia em que o próprio Cristo faria isso.

3- Belém significa “Casa do Pão” e é lá que ela encontra pão para sempre, através do amor e proteção de Boaz. Agora temos Cristo, o pão do céu. Nós habitamos nele! Sob seu amor e proteção nunca mais passaremos fome.

4- Ao contrário do que muitos pensam, Rute não está nos ensinando a ser ousados e convidá-lo para sair. Ela está nos ensinando a trabalhar duro e ser leais primeiro àqueles que Deus colocou em nossas vidas. Ela estimava e amava Noemi. Ela trabalhou duro e nem pensou em flertar com Boaz quando chegou lá! Ela provavelmente ainda estava de luto e muito preocupada em como sobreviveria nesta nova terra, com novas pessoas, nova cultura e novo Deus. Ela deu o seu melhor para honrar não apenas Noemi, mas também aquele que ela agora chamaria de seu próprio Senhor. Esse foi o cenário quando ela conheceu Boaz, que acabou por ser seu Go’el (o membro da família que legalmente deveria redimir a família). A história de Rute é sobre a soberania e providência de Deus e a responsabilidade humana.

5- Noemi não confiou em Deus, então deixou Jerusalém e mudou-se para Moabe. Isso não agradou ao seu Senhor e o resultado foi sofrimento e pobreza. Rute, por sua vez, confiou que seu novo Deus a resgataria e ela o agradou. Seu resultado foi vida e prosperidade. Mas Deus é tão misericordioso que mesmo depois de Noemi ter estragado tudo, quando ela decidiu voltar para a terra dele, ele simplesmente não a deixou morrer de fome. A recompensa de Rute também abençoou Noemi e deu-lhe uma nova chance de ser feliz e realizada novamente. Deus está sempre pronto para abençoar os pecadores arrependidos.

Dito isto, adoro como este livro conecta muitas vidas por meio do que algumas pessoas chamam de coincidência (são chamadas de providência deste lado da força). Deus move pequenas coisas aqui e ali e então… BOOM: as vidas e origens de todos estão agora conectadas à redenção.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Saúde mental em meio a desastres e catástrofes

A busca por autoconhecimento é sempre fundamental, ter ciência das suas habilidades, quando e onde tem condições físicas e emocionais para atuar é fundamental. Confira algumas dicas de como lidar com as emoções em cada fase

Veja também

Saúde mental em meio a desastres e catástrofes

A busca por autoconhecimento é sempre fundamental, ter ciência das suas habilidades, quando e onde tem condições físicas e emocionais para atuar é fundamental. Confira algumas dicas de como lidar com as emoções em cada fase

Livres para servir: o papel da religião na promoção do bem comum

A realização dos ideais religiosos depende da preservação da liberdade religiosa – o direito fundamental de praticar, expressar e manifestar suas crenças sem discriminação ou perseguição. Defender a liberdade religiosa não é apenas uma obrigação legal, mas um imperativo moral que garante o florescimento de diversas comunidades religiosas e promove um ambiente propício ao diálogo e à cooperação

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó