Páscoa do Senhor

No mês de março, as crianças da Paróquia Ebenézer, Tigrinhos, SC, puderam aprender e fortalecer um pouco mais, a respeito da Páscoa do Senhor. Enfeitadas de coelhinhos, usando este personagem tão conhecido, aprenderam que testemunhar não é destruir, brigar, quanto menos maltratar o que os outros dizem sobre a páscoa.

Sob orientação do pastor Maicol Mombach e aos cuidados da coordenadora e professora Suély Mombach, as crianças puderam, com criatividade, testemunhar após os cultos do mês, de maneira lúdica, encenando e cantando a verdade sobre Cristo aos que estiveram nos cultos. E pelas ofertas, que elas mesmas compartilham nos cultos, foi possível entregar às crianças um mimo com doces.

“Por causa de Deus, vivemos e cremos, por isso falamos e dizemos aos outros. Sempre com amor: não é o coelhinho que nos dá perdão, vida e paz, mas é Jesus. Através da sua entrega para ser crucificado, morreu por nós para nos guardar no perdão diante de Deus. E, mediante o grande amor de Deus, também Jesus ressuscitou para nos dar vida e paz diante de Deus. Quer seja, vida diante morte como salvação na paz com Deus, tal vida e paz para toda eternidade”, concluiu o pastor.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Você já reclamou de um presente dado por Deus?

“Quem vem aí?”, me perguntou uma senhora na saída do culto. Ao responder que era mais um menino, ela disse: “Ah, não!! Tinha que ser uma menina!” Quase sem acreditar no que ouvi, questionei: “Por quê? Não mesmo! Quando Deus envia o presente, a gente aceita com gratidão”.

Veja também

Você já reclamou de um presente dado por Deus?

“Quem vem aí?”, me perguntou uma senhora na saída do culto. Ao responder que era mais um menino, ela disse: “Ah, não!! Tinha que ser uma menina!” Quase sem acreditar no que ouvi, questionei: “Por quê? Não mesmo! Quando Deus envia o presente, a gente aceita com gratidão”.

Dores que fazem crescer

“Feliz é aquele que nas aflições continua fiel! Porque, depois de sair aprovado dessas aflições, receberá como prêmio a vida que Deus promete aos que o amam” (Tg 1.12).

O que alimenta nossa fé?

Esse foi o tema do Congresso de Servas e Leigos do DIVALI