Capelanias das escolas da Ulbra realizam atendimento pastoral a distância

Em tempos de incerteza e recomendações de não contato físico, muitas famílias têm buscado apoio de forma virtual. Pensando em dar continuidade aos atendimentos pastorais da rede de escolas da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), o capelão-geral da Aelbra, pastor Maximiliano Wolfgramm, realizou um trabalho de orientação com os representantes da capelania de cada escola, buscando capacitá-los no atendimento remoto de apoio às famílias de alunos e comunidade em geral.

Segundo o pastor Maximiliano, os atendimentos pastorais fazem parte do trabalho regular do capelão. “Uma das funções deste é de ser cuidador, acompanhando a comunidade em momentos de necessidade”, destacou ele, lembrando que, logo que se instaurou a crise, a função pastoral continuou. “O que buscamos foram novas maneiras de tentar alcançar as pessoas, uma vez que o contato físico já não era mais possível”, complementou.

Durante esse período, os capelães se reuniram virtualmente em alguns momentos para capacitação. Discutindo sobre as ferramentas virtuais que vinham sendo utilizadas e estratégias de comunicação, o grupo de pastores participou de um encontro, entre várias outros, com a docente do curso de Psicologia da Ulbra Gravataí, Mariana Benchaya, que trouxe ensinamentos sobre os atendimentos a distância.

Momento de oração e apoio
Capelão do Colégio Ulbra São Lucas, de Sapucaia do Sul, RS, o pastor André Cardoso é um dos atuantes no projeto. Segundo ele, com o confinamento compulsório, surgiu a ideia de fornecer para as famílias uma continuidade do trabalho que já vinha sendo realizado pela pastoral. “Principalmente nesse momento de ficar em casa e com as aulas presenciais ocorrendo de forma virtual”, explicou.

Denominado por ele como corrente de oração, o trabalho tem como objetivo oferecer um momento on-line de contato entre a pastoral, famílias, professores e comunidade. “Cantamos músicas, lemos juntos passagens da bíblia que possam confortar os corações e, no fim, temos um momento de oração”, contou. O encontro com o pastor André acontece todos os dias, às 21h30, através de uma live no seu Facebook pessoal (acesse aqui).
Como resultado de seu trabalho, o pastor André relata ter recebido diversos feedbacks das famílias, sempre de forma positiva. “Elas agradecem, se sentem amparadas pelo projeto”, destacou. Interagindo através de comentários, André aponta que as pessoas pedem muitas orações para seus amigos e familiares nesse momento.

Apoio às famílias dos alunos surdos
Espaço educacional dedicado ao ensino de alunos surdos, a Escola Especial Ulbra Concórdia atende crianças e adolescentes de toda a grande Porto Alegre, desde a educação infantil até o ensino médio, utilizando a Língua Brasileira de Sinais (Libras) como comunicação principal durante as aulas. Pastor Adilson Magedans, capelão responsável pelos ensinamentos pastorais da escola, também é um dos integrantes do projeto de atendimento às famílias.

“Desde o início do isolamento social, iniciamos contatos com algumas famílias promovendo orientações com os alunos para que permaneçam em casa”, contou. Segundo o capelão, a partir da segunda semana de isolamento, se intensificou o contato com os alunos através das plataforma digitais, utilizando a Libras como forma de comunicação. “Buscamos sempre sanar dúvidas, apoiar nas dificuldades e ampliar as informações que às vezes são poucas para os surdos”, destacou.

As conversas não são apenas destinadas aos alunos. Para o pastor Adilson, o diálogo com as famílias é extremamente importante como uma maneira de fortalecê-los e motivá-los na educação dos filhos, agora com atividades domiciliares. Para algumas famílias, a língua ainda é uma barreira considerável de comunicação, e o apoio da pastoral e toda a comunidade acadêmica é imprescindível para superar este desafio. “Mesmo a distância, professor e equipe diretiva têm dado suporte para que continuemos vinculados e fortalecidos”, afirmou.

O pastor destacou, ainda, que, algumas vezes, os alunos procuram a equipe pedagógica preocupados com notícias falsas que recebem em aplicativos e plataformas digitais. “Levamos, ainda, a palavra de Deus, em momentos de reflexão, com pequenos devocionais em Libras”, garantiu. O pastor informou que muitas famílias têm entrado em contato para dizer que os alunos tiveram seus ânimos redobrados com as atividades domiciliares e o suporte que a equipe da escola tem fornecido. “De forma simples, mas muito amiga, temos tentado estar presentes e ao lado de cada aluno em suas dificuldades, angústias e alegrias”, completou.

Emily Ebert
Estagiária de Jornalismo da Ulbra Canoas

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Deus nos livre de nós mesmos

Um coração adoentado desta forma jamais conseguiria restaurar, por si só, a salvação jogada fora lá no Éden. Por isso, o perdão e a restauração deste coração corrompido estão unicamente em Jesus

Veja também

Deus nos livre de nós mesmos

Um coração adoentado desta forma jamais conseguiria restaurar, por si só, a salvação jogada fora lá no Éden. Por isso, o perdão e a restauração deste coração corrompido estão unicamente em Jesus

Missão Feliz, RS, completa 8 anos

A missão iniciou em 2016, com seis pessoas e hoje, já são 29 pessoas ativas e alguns visitantes

Setenta anos, a Igreja em missão em Baixo Guandu, ES

Congregação Da Paz celebrou culto festivo no dia 14 de abril