Feira on-line movimenta alunos e professores do Colégio Concórdia, de São Leopoldo, RS

A pandemia causada pelo novo coronavírus não impediu a realização da sexta edição da Feira Regional de Iniciação Científica do Colégio Luterano Concórdia, de São Leopoldo, RS. Adaptada ao ambiente virtual, a mostra está ocorrendo por meio das plataformas digitais e se encerra no sábado, 28 de novembro. Segundo o professor Fernando Inácio dos Santos, a opção foi por realizar as apresentações em três sábados, 14, 21 e 28 de novembro, oportunizando o envolvimento dos alunos desde o Ensino Fundamental II aos do Ensino Médio.

O tema deste ano abordou alimentos e cultivo saudáveis e foi inspirado nas proposições da Organização das Nações Unidas (ONU), que na assembleia geral de 2018 estabeleceu o ano de 2020 como o Ano Internacional da Fitossanidade.

Os estudantes utilizaram a plataforma Hangouts Meet, e tinham entre sete e dez minutos para apresentar o seu projeto, cuja pesquisa já havia sido enviada à comissão organizadora, que esclareceu dúvidas e apontou dicas de melhoria. “Todos podiam assistir às demais apresentações, como forma de acompanhar os colegas”, ressalta o Prof. Fernando. Professor de Ciências e Biologia, ele também integra a Comissão Organizadora da FEICICC e destaca a importância da manutenção do evento, que sempre foi presencial. “A familiarização com o método científico, a construção e a socialização de conhecimentos precisam ter continuidade, mesmo de forma remota”, diz.

Segundo ele, a modalidade de uma apresentação não presencial tem seus prós e contras. “Se, por um lado favorece a velocidade da busca de dados e dinamiza o acesso e a interação com as tecnologias da informação e comunicação, por outro lado há a necessidade de criar rotinas e uma disciplina para manter a constância exigida pela iniciação científica. “O distanciamento social, com cada aluno na sua casa, dificultou a execução de entrevistas, visitas técnicas tão necessárias e importantes para dimensionar uma pesquisa. Mas os professores e alunos mantiveram-se firmes no propósito do projeto da feira”, ressalta o professor. Ele aponta que adaptaram as metodologias e, mesmo assim, os alunos produziram e compartilharam muito conhecimento. Este momento está sendo marcante na história da escola e impactando diretamente na comunidade escolar. “A criatividade e o processo de adaptação e resiliência foram muito estimulados e serviram de exemplo na superação de obstáculos”.

O diretor da instituição, Nelci Naor Senger, acrescenta que períodos atípicos como este impulsionam novas formas de estudar e aprender, não somente para os estudantes, mas também para o corpo docente e familiares. “Os professores adaptaram-se a um novo formato, demonstrando grande espírito de solidariedade junto aos alunos e também aos pais, que também tiveram que se adaptar a esta nova realidade”, aponta.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Ovelhas geram ovelhas. Pastores apascentam ovelhas

No evangelho de João 10.11,14, Jesus é o “Bom Pastor” que apascenta e gera, espiritualmente, as ovelhas que escutam sua voz e que o conhecem e são por ele conhecidas.

Veja também

Ovelhas geram ovelhas. Pastores apascentam ovelhas

No evangelho de João 10.11,14, Jesus é o “Bom Pastor” que apascenta e gera, espiritualmente, as ovelhas que escutam sua voz e que o conhecem e são por ele conhecidas.

Cheiro de salvação

O texto de 2 Coríntios 2.14 diz assim: “como um perfume que se espalha por todos os lugares, somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas”.

Quem está nas trincheiras ao seu lado?

Quando a gente casa, traz uma bagagem para a vida a dois. Nesta bagagem, estão os valores aprendidos em casa, as experiências de relacionamentos anteriores, nossa profissão talvez, sonhos e desejos.