A arte de ouvir sermões: ouvindo com o coração

Sendo este um dos momentos mais sublimes de nosso culto, como podemos garantir que prestemos a devida atenção a essa proclamação da Palavra?

Filipe Schuambach Lopes
Pastor na Comunidade Concórdia, Caxias do Sul, RS

Sem sombra de dúvida, o sermão é um dos momentos mais significativos no culto luterano. É um momento em que as Escrituras nos são explicadas, proclamando tanto a pessoa quanto a obra de Cristo. Nesse instante, Cristo se manifesta a nós por meio da voz do pastor. Arthur Just afirma que, nesse momento, ouvimos a voz viva de Jesus – “viva vox Jesu”, pois a Palavra de Jesus é tanto escrita como oral. Isso significa que, embora as Sagradas Escrituras tenham sido recebidas e inspiradas, elas também são faladas e ouvidas dentro da comunidade conhecida como o corpo de Cristo. Essa voz é viva porque, por meio dela, Jesus Cristo está presente corporalmente entre nós. Essa Palavra emana do Verbo que se fez carne, uma Palavra que possui poder, como Lutero afirmou em um sermão de 1530:

“a Palavra de Deus, quando ensinada corretamente, não pode deixar de produzir incessantemente grandes coisas e fazer milagres […], como por exemplo, ressuscitar mortos, expulsar demônios, devolver a vista a cegos, recuperar a audição de surdos, purificar leprosos, curar mudos e pôr aleijados a andar. Ainda que isso não acontece fisicamente, não deixa de acontecer espiritualmente na alma, o que é um milagre muito maior, como o atesta Cristo em Jo 14.12: ‘Quem crê em mim fará as obras que eu faço, e outras ainda maiores’”.

          Sendo este um dos momentos mais sublimes de nosso culto, como podemos garantir que prestemos a devida atenção a essa proclamação da Palavra? É verdade que, ao comparar o passado com o presente, podemos perceber uma redução significativa no tempo dedicado à pregação. Enquanto antes eram comuns sermões de 35 a 40 minutos, hoje muitos se queixam se o pastor ultrapassa 15 a 20 minutos de sermão. Além disso, outras críticas também surgem, como: “Os sermões do pastor são complexos demais” ou “muito simplistas”. “Ele prega muito a lei” ou “muito evangelho”. “Ele gagueja” ou “tem sotaque”, ou “faz gestos excessivos que atrapalham nossa concentração”.       

Será que há algo a ser feito nos momentos em que você frequenta a igreja e sai com a sensação de não ter obtido nenhum benefício espiritual? Na verdade, implementar algumas mudanças na maneira como se ouve o sermão do seu pastor pode resultar em um aumento surpreendente de benefícios após a audição do sermão.

Portanto, com base no artigo How to Listen to a Sermon – Even When It’s Hard (Como ouvir um sermão – mesmo quando é difícil), apresento aqui dez dicas ou dez exercícios que podem auxiliar-nos a manter uma concentração mais apurada durante o sermão em nossos cultos.

  1. Livre-se das distrações. Prepare-se para ouvir, guardando qualquer coisa que possa tirar a sua atenção durante o sermão. Desligue os telefones. Certifique-se que o folheto da ordem de culto não o tente a dar uma olhada nele durante o sermão. No culto divino, a eternidade desce ao nosso encontro, por isso, é essencial que momentaneamente deixemos de lado nossas preocupações, a fim de que, à semelhança de Maria, possamos repousar aos pés de Jesus, atentos às suas palavras para nós (Cf. Lucas 11.42).
  2. Medite no texto. Se dispuser de tempo antes do culto, leia os textos da semana para preparar a sua mente para o que poderá ser pregado. Caso não possa realizar essa leitura antecipadamente, tenha os textos à mão durante o sermão, para que possa consultá-los à medida que o pastor os abordar na pregação. As indicações das leituras para o culto podem ser encontradas no site da IELB (www.ielb.org.br/tempo-da-igreja).
  3. Faça anotações. Auxilie a concentração da sua mente registrando os pontos-chave que você ouve. Fazer anotações pode contribuir para identificar uma estrutura que pode ser difícil de perceber apenas ouvindo. Não se distraia tentando transcrever o sermão por completo; concentre-se nos pontos essenciais. Mesmo que suas anotações resultem em uma aparente confusão de pensamentos, elas ainda fornecerão um registro que o ajudará a revisitar o sermão e identificar quais pontos ressoaram em seu coração e mente.
  4. Destaque a lei e o evangelho. Use a clássica distinção luterana de lei e evangelho para guiar seu entendimento da pregação. Identifique os principais ensinamentos da lei presentes no texto bíblico. Como o evangelho é aplicado quando somos confrontados por essa lei? Se você fez anotações, posteriormente pode realçar a lei com uma cor e o evangelho com outra. Contudo, lembre-se de que é responsabilidade do seu pastor fazer essa distinção e não necessariamente equilibrá-los. Alguns sermões enfatizarão mais a lei, enquanto outros se concentrarão no evangelho, sendo ambos igualmente essenciais.
  5. Selecione e guarde um ensinamento do sermão. Se durante a pregação você se distrair com pessoas ao seu redor, com crianças agitadas ou com outras interrupções, talvez não consiga prestar a atenção devida, tomar notas ou fazer análises mentais detalhadas. Contudo, não se preocupe! Não há problema em extrair apenas um ensinamento de um sermão; sim, apenas um! Se as técnicas de escuta não funcionarem ou forem frustrantes, console-se com a ideia de que um sermão é um banquete de instrução espiritual. Mesmo que consiga apreender e ponderar apenas um pequeno trecho, isso ainda será um alimento valioso para a alma. Em momentos em que sua mente esteja sobrecarregada, concentre-se em reter um ensinamento no qual você poderá meditar ao longo da semana.
  6. Deixe os hinos pregarem a você. Em situações em que você “perde” o sermão inteiramente devido às necessidades de seus filhos ou quando sente que o sermão não atendeu às suas expectativas por qualquer motivo, medite nas palavras de um ou mais hinos do dia. Seu pastor escolheu esses hinos para refletir os temas da liturgia, e eles servem como uma extensão da mensagem. Se possuir um hinário em casa, também pode contemplar os hinos ao longo da semana.
  7. Saiba que a liturgia é à prova de falhas. Nos dias em que parece que não consegue captar a Palavra de Deus por meio da pregação do pastor, encontre conforto na certeza da liturgia. Ao contrário do evangelicalismo pentecostal, em que o ponto alto é a pregação, o culto litúrgico luterano culmina na santa ceia. Ouça a declaração de absolvição e saiba que ela proclama o perdão de seus pecados. Participe da santa ceia e receba o corpo e o sangue de Cristo como o alimento eterno que o fortalecerá nesta vida e na eternidade. Não há culto em que você “não obtenha nada com o culto”. Você recebe perdão, salvação e vida eterna a cada semana!
  8. Converse com outras pessoas (positivamente) sobre o sermão. Analise as ideias principais da pregação, compartilhe suas conclusões principais, faça perguntas sinceras e compare perspectivas com outras pessoas a fim de fortalecer seu próprio entendimento. Converse com sua família enquanto volta para casa ou agende um encontro para um café com um amigo nas manhãs de segunda-feira. Mantenha um diálogo no espírito do Oitavo Mandamento no respeito e na consideração, evitando críticas e queixas. (Cf. Filipenses 2.14) Se algumas partes do sermão ainda o deixam perplexo ou desconfortável, agende um horário para dialogar com seu pastor e tirar suas dúvidas. Ele ficará extremamente feliz em conversar com você.
  9. Ore pelo seu pastor. Assim como o diabo ataca você, tentando convencê-lo de que é impossível ouvir os sermões do seu pastor, ele ataca o seu pastor, tentando convencê-lo de que é um pregador indigno que não consegue suprir as necessidades de seu rebanho. Ore para que Cristo proteja o seu pastor contra esses ataques demoníacos. Peça ao Espírito Santo que conceda a ele discernimento na explanação da Palavra e que o conduza durante a preparação de seus sermões. Sempre que possível, no início dos cultos, você pode orar pelo seu pastor, utilizando as orações sugeridas que se encontram nas primeiras páginas de nossos hinários.
  10. Lembre-se de que o Espírito Santo está pregando para você através do seu pastor. Mesmo que vejamos um homem pregando à frente, a interação entre o pastor e os ouvintes é muito mais do que apenas um ser humano falando e um grupo de pessoas ouvindo. O Espírito Santo é quem realmente está ativo e presente sempre que a Palavra de Deus é ensinada com verdade e pureza (Catecismo Menor, Pai-Nosso, 1ª Petição). Ele busca, por meio dessa Palavra, guiar-nos a levar vidas santas como filhos de Deus aqui na Terra e, por fim, junto a Cristo na eternidade (Catecismo Menor, Pai-Nosso, 2ª Petição). Independentemente de como você se sinta ao ouvir o sermão, ele é verdadeiramente a Palavra de Deus para você e possui o poder de realizar grandes feitos.

Aprender a ouvir o sermão de maneiras diferentes pode auxiliá-lo na concentração e compreensão. Quando nos humilhamos para nos tornar melhores ouvintes da Palavra, em vez de reclamar porque nosso pastor não poderia ser um pregador melhor, o diabo é quem fica furioso e frustrado.

Deus é quem o fez uma ovelha. Da mesma forma, ele escolheu o seu pastor para desempenhar exatamente esse papel em sua vida, como seu pastor. Deus sabia que estava lhe dando esse homem em particular para ser seu pastor, e ele viu que isso era bom. Cristo não o deixou como uma ovelha sem pastor; ele teve compaixão e escolheu e enviou um homem para alimentá-lo com sua Palavra e os sacramentos. Se isso não é algo que merece apreço, o que é?

Acesse aqui a versão impressa.

Fontes:

SMITH, Heather. How to Listen to a Sermon — Even When It’s Hard. Disponível em: <witness.lcms.org/2023/how-to-listen-to-a-sermon-even-when-its-hard>.

Lutero, Martinho. Uma prédica para que mandem os filhos à escola – 1530. Obras Selecionadas. V.5. São Leopoldo: Sinodal; Porto Alegre: Concórdia, 1995.

JUST, Arthur. Heaven on Earth: The Gifts of Christ in the Divine Service. St. Louis: Concordia Publishing House, 2008.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

 “Olá, eu sou a terceira idade”

Quando pensamos sobre a saúde mental de uma pessoa idosa, é importante frisar que ela pode ser afetada por fatores que vão além das condições biológicas; os aspectos sociais, psicológicos e ambientais também são influenciadores

Veja também

 “Olá, eu sou a terceira idade”

Quando pensamos sobre a saúde mental de uma pessoa idosa, é importante frisar que ela pode ser afetada por fatores que vão além das condições biológicas; os aspectos sociais, psicológicos e ambientais também são influenciadores

A carreira da fé e a comunhão

Que grande bênção é o dom da comunhão; o presente da família da fé. Se a família social nos dá o amparo da mãe, do pai, dos irmãos, na congregação cristã (igreja) temos o amparo espiritual. Deus quer cuidar de nós por meio da sua igreja. Deus promete presença especial, onde dois ou três estão reunidos em seu nome.

X Simpósio Internacional de Missão

Programação acontecerá de 26 a 28 de junho, no Seminário Concórdia