Fundação da Congregação Unidos em Cristo de Rorainópolis, RR

Houve também o acolhimento de dois membros para a comunhão cristã na família da IELB

No dia 22 de fevereiro, a igreja em Rorainópolis, RR, festejou sua fundação, sob o nome de Congregação Unidos em Cristo.

Neste momento especial, a liturgia foi ministrada pelo pastor local, Felipe Barbosa Gonsioroski, e contou com a participação e a pregação do conselheiro do Distrito Amazônico, pastor Marcel Scheidt.

Houve também o acolhimento de dois membros para a comunhão cristã na grande família da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB). 

Após a assembleia de fundação, com a aceitação da ata, do estatuto da congregação, a formação da primeira diretoria e a assinatura dos presentes, a congregação partilhou de um momento de comunhão, conversa e alegria por todas as bênçãos derramadas pelo trabalho que está sendo feito por todos na congregação.

Foi um dia emocionante, em que a ação de Deus se firma em meio a este povo que têm tanto carinho pela Palavra e que quer ver cada dia mais a igreja crescer.

Que Deus abençoe o trabalho que está sendo feito e o ímpeto de todos os irmãos na pregação do Evangelho nesta cidade.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

Veja também

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

A subjetividade contemporânea do rolar a tela do celular

O Tik Tok passa a predominar e compor o mundo intrapsíquico do ser humano. E tal composição atinge milhões de pessoas, como uma espécie de hipnose pandêmica.

A dolorosa volta para casa

Após 20 ou mais dias, vítimas da enchente no RS começam a retornar aos seus lares para limpeza e reconstrução