Congresso de Servas e Leigos do Distrito Rio de Janeiro

Programação contou com a presença recorde de 140 participantes

No dia 16 de setembro, foi realizado o 4º Congresso compartilhado de Servas e Leigos do Distrito Rio de Janeiro (DRJ), nas dependências da Comunidade Evangélica Luterana da Paz, na Tijuca. Foi o 38º Congresso da Liga de Servas e o 15º da Liga de Leigos do DRJ.

Sob a direção da presidente da LSLB/DRJ, Elizabeth Noronha, e do presidente da LLLB/DRJ, Antônio Rosa, o evento contou com a presença recorde de 140 participantes.

O pastor Ramirez Pacheco dirigiu a palestra sobre o tema: “Enraizados e Edificados em Cristo”, e o pastor Jonas Flor foi o pregador do culto de encerramento, que teve como lema: “Consolai-vos e edificai-vos uns aos outros” (1 Ts 5.11).

Estiveram presentes o presidente da LLLB, Ives Moller, e a 2ª Vice-presidente da LSLB, Silmari Carvalho.

Pela manhã, houve um momento conjunto, com entradas dos estandartes, devoção, pelo Departamento de Nova Iguaçu, louvor e a palestra; à tarde, momento separado, com assuntos inerentes às servas e aos leigos. A serva Marcelle do Nascimento palestrou aos leigos sobre “A saúde do homem”. O encerramento aconteceu com o culto e a instalação dos eleitos (confira abaixo).

Também foi realizado o tradicional bazar das servas, de doces e produtos artesanais, cuja renda foi revertida para o projeto distrital das servas.

Diretoria LSLB/DRJ:
Presidente – Talita Mesquita
Vice-presidente – Maria Rousaria Ohnesorge
Secretária – Alessandra Marinho
Vice-secretária – Isabela Klippel
Tesoureira – Mônica Santos
Vice-tesoureira – Maria da Penha Ohnesorge
Conselheiro – Pastor Arthur Klippel

Diretoria LLLB/DRJ:
Presidente – Antônio Rosa

Vice-Presidente – Welerson Stephani
Secretário – Nilton Schenk

Vice-Secretário – Jorge Nascimento Jr.
Tesoureiro – Carlos Soares Vice-Tesoureiro – José Bonfim
Conselheiro – Pastor Martiniano Soares

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

Veja também

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

A subjetividade contemporânea do rolar a tela do celular

O Tik Tok passa a predominar e compor o mundo intrapsíquico do ser humano. E tal composição atinge milhões de pessoas, como uma espécie de hipnose pandêmica.

A dolorosa volta para casa

Após 20 ou mais dias, vítimas da enchente no RS começam a retornar aos seus lares para limpeza e reconstrução