Recepção do pastor Marcos Falk em Tailândia, PA

Após um ano sem pastor e sendo atendido interinamente pelo Conselheiro Distrital, Congregação se mobiliza para reformar igreja e casa pastoral à espera de novo pastor

Com muita alegria e entusiasmo, a Congregação Cristo Rei, de Tailândia, PA, fez uma bela recepção para o pastor Marcos Falk e sua família no dia 13 de janeiro.

Depois de 1 ano sendo atendidos interinamente pelo conselheiro distrital, pastor Valdir Klemann, os membros se mobilizaram para reformar a casa pastoral e também a Igreja.

As melhorias foram feitas com promoções e ofertas da Congregação e também doações do FAPI e LSLB, que sempre prontamente atenderam os pedidos da Congregação, a fim de dar continuidade ao trabalho na Região Norte do Brasil.

“Nossos agradecimentos aos queridos irmãos desse nosso Brasil Continental que generosamente ofertam para que projetos de revitalização possam acontecer”, destacou o pastor Valdir Klemann.

No dia da chegada do pastor Marcos e sua família, os irmãos os recepcionaram com um delicioso lanche e organizaram um chá de casa nova. No domingo, 14 de janeiro, foi realizado um culto dirigido pelos pastores Marcos e Valdir.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

Veja também

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

A subjetividade contemporânea do rolar a tela do celular

O Tik Tok passa a predominar e compor o mundo intrapsíquico do ser humano. E tal composição atinge milhões de pessoas, como uma espécie de hipnose pandêmica.

A dolorosa volta para casa

Após 20 ou mais dias, vítimas da enchente no RS começam a retornar aos seus lares para limpeza e reconstrução