Ansiosos pela festa

Mesmo que diversas atividades já tenham sido retomadas com as devidas restrições, esta pandemia continua nos privando de algo. Estou falando dos abraços, das boas conversas e dos bons festejos entre amigos e familiares. Quem fez aniversário em plena pandemia sabe do que estou falando. Por mais que haja diversos motivos para louvar a Deus, é até triste não ter a casa cheia de gente querida em uma data especial. Esta cena já foi experimentada na Páscoa, no Dia das Mães e, quem sabe, assim será ainda no Dia dos Pais.

A sociedade está ansiosa para voltar a festejar. Há inúmeras festas clandestinas e ilegais sendo denunciadas às autoridades. Precisamos nos acalmar. Ainda não é a hora de festejar com abraços, beijos e calor humano. Por mais que a tecnologia nos aproxime virtualmente, ainda assim aguardamos ansiosamente o dia em que poderemos encher nossa casa e, com boa comida e bebida, festejar uma data especial. Esse dia ainda vai chegar.

Existe uma festa que é aguardada, ansiosamente, há muito tempo. E a cada novo amanhecer, ela se aproxima mais e mais. É festa com as melhores comidas e bebidas, onde seremos recebidos como convidados de honra e nosso copo transbordará de alegria, como nos diz o salmo 23. Isaías profetizou essa festa assim: “no monte Sião o SENHOR Todo-Poderoso vai dar um banquete para todos os povos do mundo; nele haverá as melhores comidas e os vinhos mais finos. E ali ele acabará com a nuvem de tristeza e de choro que cobre todas as nações” (Is 25.6-7). Eis aí a festa da salvação, a festa que tem Jesus por anfitrião.

Hoje o sofrimento paira sobre as nações e também sobre as nossas vidas. A festa plena da salvação não é aqui. Aqui nossos olhos terão lágrimas, nosso coração carregará suas ansiedades, nossos ombros pesarão por culpas, nossas lembranças estarão marcadas por perdas. Mas um dia a trombeta soará, e os sons de festa, alegria e louvores estarão ecoando eternidade afora. E aí, sim, as lágrimas, dores e culpas serão coisas do passado.

Esse novo vírus nos afasta uns dos outros, criando um sentimento de saudade mesmo em dias que seriam de festa. A morte, pior consequência do pecado, tem criado muita saudade de pessoas que já descansam nas mãos de Jesus. Como gostaríamos de tê-las em nossa frente para abraçá-las e beijá-las! E esse será um ingrediente especial da festa da salvação. Que alegria será reencontrar nossos queridos cristãos! Este dia ainda vai chegar. Mas agora é tempo de nos consolarmos com a promessa de Jesus: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim nunca morrerá” (Jo 14.19).

Na festa da salvação só se pode entrar com uma roupa especial, repleta de dignidade e santidade. Infelizmente, o que oferecemos a Deus são apenas trapos sujos de injustiça. Mas aí entra em ação a misericórdia do Senhor. Em nosso batismo, foi o próprio Deus quem nos vestiu já com a roupa apropriada da festa, roupa da dignidade, não nossa, mas de Jesus. Afinal, assim nos diz a Palavra: “Vocês foram batizados para ficarem unidos com Cristo e assim se revestiram com as qualidades do próprio Cristo” (Gl 3.27). E nesse traje de festa somos fortalecidos na medida em que formos usando os demais meios da graça, Palavra e santa ceia.

Aguardemos ansiosamente pela festa da salvação. Ela vai chegar. Que dia feliz será! Vem, Senhor Jesus!

Bruno K. Serves

Pastor, Candelária, RS

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Deus nos livre de nós mesmos

Um coração adoentado desta forma jamais conseguiria restaurar, por si só, a salvação jogada fora lá no Éden. Por isso, o perdão e a restauração deste coração corrompido estão unicamente em Jesus

Veja também

Deus nos livre de nós mesmos

Um coração adoentado desta forma jamais conseguiria restaurar, por si só, a salvação jogada fora lá no Éden. Por isso, o perdão e a restauração deste coração corrompido estão unicamente em Jesus

Missão Feliz, RS, completa 8 anos

A missão iniciou em 2016, com seis pessoas e hoje, já são 29 pessoas ativas e alguns visitantes

Setenta anos, a Igreja em missão em Baixo Guandu, ES

Congregação Da Paz celebrou culto festivo no dia 14 de abril