GRATIDÃO,

Na quarta quinta-feira do mês de novembro de cada ano, celebramos – aqui no Brasil – o Dia de Ação de Graças. Quer dizer, pelo menos consta em nosso calendário. Mas ele consta no calendário apenas para lembrar-nos de responder ao amor de Deus com ação de graças pelas muitas dádivas e bênçãos que dele recebemos diariamente em nossa vida.

Com o profeta Jonas, queremos aprender a louvar e agradecer a Deus todos os dias da nossa vida, não só nos dias e em situações especiais, como aconteceu na vida do profeta que, ao ser chamado por Deus, tentou fugir dele, achando que isso era possível. Mas logo mudou de ideia e disse:

“Mas eu cantarei louvores, e te oferecerei sacrifícios, e cumprirei o que prometi. A salvação vem de Deus, o Senhor” (Jonas 2.9).

Essa oração é diferente de todas as orações. Ela foi feita dentro da barriga de um grande peixe. Quem a fez foi Jonas, o profeta fugitivo. Salvo do temporal, engolido por um peixe, ele lembra de agradecer a seu Deus e Salvador.

Hoje o sino da igreja pode bater o dia inteiro, mas não me levará ao culto. O que fazer na igreja? O pastor sempre fala a mesma coisa, dizendo que Jesus é nosso Salvador. Não tenho nada para agradecer a Deus. Ou devo agradecer porque o milho apodreceu na roça, porque os gafanhotos comeram o trigo, porque a chuva de pedras destruiu o meu pomar? Assim resmungava um sitiante em uma manhã de domingo. A senhora, que mais tarde relatou esse fato, ouvindo as murmurações do esposo, mandou a filhinha para junto do pai e dar um recado.

A menina sentou no colo do pai e disse:

Mamãe disse que o senhor é para ir junto ao culto. Mamãe disse que temos muita coisa para agradecer a Deus. Mamãe disse que o senhor sempre tinha saúde para trabalhar, que o galpão está cheio de milho, que sempre tinha pão e manteiga na mesa, que sempre passeamos com o nosso carro, que eu estou aqui de novo depois que o médico disse que eu iria morrer. Vamos papai! Vamos ao culto agradecer a Deus por tudo isso.

O pai mudou seu pensamento graças ao testemunho de sua esposa e de sua filha. Foi ao culto e, com a congregação, cantou o grande hino da gratidão: Louva ao Senhor/ que abençoa-te visivelmente. / Chove, amoroso, dos céus/ seus dons, torrencialmente. / Lembra-te bem: / toda a bondade te vem / do Senhor onipotente.

Quem somos nós para murmurar contra Deus? Tudo o que somos e possuímos são dádivas do Senhor. Deus dá tudo por sua graça e misericórdia, e sempre dá bastante. Mas nós, como aquele dono de sítio, nem sempre vemos e reconhecemos as bênçãos de Deus. É necessário, muitas vezes, que nossa esposa e nossa filha nos abram os olhos para a riqueza da graça que vem do Alto.

Jonas, o profeta fugitivo, apenas se lembrou das bênçãos de Deus, de oferecer sacrifícios de gratidão e de pagar os seus votos quando se encontrava no ventre de um grande peixe, dizendo: Mas eu cantarei louvores e te oferecerei sacrifícios, e cumprirei o que prometi. A salvação vem de Deus, o Senhor!

Sabendo que tudo pertence a Deus, e sabendo que ele espera a nossa gratidão, ofereçamos sacrifício com voz de agradecimento, com a certeza da confissão do Jonas renovado: Tu me salvaste da morte, ó Senhor, meu Deus. Eu cantarei louvores ao Senhor. A salvação vem de Deus, o Senhor.

Senhor, abre os meus lábios, e cantarei o teu louvor. Amém.

Leopoldo Heimann

Segue-me. 5.ed. Porto Alegre: Concórdia, p. 352.

*Texto publicado na edição de novembro de 2016.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Deus nos livre de nós mesmos

Um coração adoentado desta forma jamais conseguiria restaurar, por si só, a salvação jogada fora lá no Éden. Por isso, o perdão e a restauração deste coração corrompido estão unicamente em Jesus

Veja também

Deus nos livre de nós mesmos

Um coração adoentado desta forma jamais conseguiria restaurar, por si só, a salvação jogada fora lá no Éden. Por isso, o perdão e a restauração deste coração corrompido estão unicamente em Jesus

Missão Feliz, RS, completa 8 anos

A missão iniciou em 2016, com seis pessoas e hoje, já são 29 pessoas ativas e alguns visitantes

Setenta anos, a Igreja em missão em Baixo Guandu, ES

Congregação Da Paz celebrou culto festivo no dia 14 de abril