Sal, onde Deus nos colocou

Quem se aventura na cozinha sabe que o bom relacionamento com o sal é a base de tudo. Uma frustração é você ter diante de si um prato aparentemente delicioso, que encanta os olhos, mas ao ser saboreado, revela ser insosso. Pouco ou nenhum sal. A falta de sabor decepciona papilas gustativas, o coração, a alma. Por outro lado, uma refeição pode se tornar uma aflição quando o excesso de sal sufoca qualquer sabor. Sal além da conta é suicídio culinário. E, se conseguir comer, é abaixo de suor, litros de água ao longo do dia e picos de hipertensão arterial. Sal precisa ser na medida certa.

Nos tempos bíblicos, além do tempero, o sal era usado como conservante e antisséptico. Evitava a deterioração de alimentos. Ajudava a curar feridas. E, nesse contexto bíblico, Jesus diz: “vocês são o sal para a humanidade” (Mt 5.13). Cristãos são o sal. Isso não é um querer ou não querer ser. Somos sal. Desde o batismo, somos o sal no lugar onde Deus nos colocou. Sal que tempera. Que preserva. Que cura. Que dá sabor à vida.

Se o belo prato insosso decepciona, o que dizer de uma vida da qual se espera sal na medida certa, e o que temos é uma extrema falta de sabor cristão? Esse alerta serve a todos nós, para que não caiamos em hipocrisia, em uma vida dupla. Uma, nos bancos da igreja. A outra, na sociedade. Pecados prediletos cultivados em segredo, sem arrependimento algum. Ser sal é estar em constante arrependimento, mudança de vida, banhando-se com o perdão pleno de Jesus.

Por outro lado, se o excesso de sal apaga a beleza de qualquer culinária, há uma linha que divide a vida cristã do fanatismo denominacional. Quase uma lavagem cerebral, cheia de leis e proibitivos. Um terror de consciência, que anestesia as delícias de uma vida cristã vivida em amor. Esse, por assim dizer, excesso de sal, ao invés de aproximar pessoas da graça e da misericórdia de Deus, acaba afastando.

Vivamos a vida cristã com sal na medida certa. Que realça o sabor da vida. Que aponta para aquele que nos envia para viver a vida. Que preserva o verdadeiro amor nesta sociedade que distorce este sentimento. Que cura as feridas de uma sociedade adoecida e sedenta de atenção. Tudo isso, não com nossa força. Mas com a força que vem do Senhor Jesus. Nele há perdão. Vida eterna. Sal na medida certa. Perdão que cura. Amor que acolhe.

Então fica a dica: sejamos sal, na medida certa, onde Deus nos colocou. Uma conversa no Whatsapp. Uma postagem. Um abraço. Ouvir o lamento de alguém. Orar pelo que sofre. Convidar para o culto. Apontar para Jesus.

Bruno Serves

Pastor em Candelária, RS

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Novos membros são recebidos em Nova Petrópolis, RS

Culto da Santíssima Trindade teve batismo e recepção de novos membros na Congregação São Marcos

Veja também

Novos membros são recebidos em Nova Petrópolis, RS

Culto da Santíssima Trindade teve batismo e recepção de novos membros na Congregação São Marcos

Enchente no RS provoca mudanças no Simpósio de Missão

Programação do Seminário Concórdia será reduzida e online. Inscrições podem ser feitas até o dia 21 de junho

Saúde mental em meio a desastres e catástrofes

A busca por autoconhecimento é sempre fundamental, ter ciência das suas habilidades, quando e onde tem condições físicas e emocionais para atuar é fundamental. Confira algumas dicas de como lidar com as emoções em cada fase