Ser um (a) Líder na Igreja

Quem pode ou deve ser um líder na Igreja? Essa é uma pergunta que inquieta muitas pessoas. Logo pensamos/olhamos para qualidades e defeitos do ser humano (“Ah, esse pode ser presidente da minha congregação porque tem isso e mais aquilo”; “Esse não pode ser da diretoria porque tem esses tais defeitos”) – esses pensamentos norteiam as escolhas de líderes.

Um aspecto deve-se levar em conta e sempre ter em mente quando se fala em liderança na Igreja: a capacitação é dada por Deus. Há uma frase de Oswald Sanders: “A liderança espiritual só pode ser exercida por homens cheios do Espírito Santo. Outras qualificações para a liderança espiritual são desejáveis. Ser cheio do Espírito Santo, é indispensável”. Em outras palavras, isso significa que é o Espírito Santo mesmo quem escolhe e capacita os líderes. Pelos Meios da Graça (Palavra, Batismo e Santa Ceia), o Espírito Santo alimenta a capacidade de alguém ser um líder. Ou seja, não são nossos “achômetros” que formam um líder.

Ainda bem que a Bíblia não deixa dúvidas de que um líder possui defeitos e falhas, veja alguns:

Abraão: sentia-se velho. Jacó: era trapaceiro. Enganou seu irmão Esaú para ficar com o direito de ser o filho mais velho (direito da primogenitura); Jonas: quando solicitado para pregar em Nínive, não quis ir, por medo. Paulo: perseguidor do Cristianismo. Moisés: (Êxodo 3.1-12) achava-se gago e incapaz. “Quem sou eu para ir falar com o rei do Egito e tirar daquela terra o povo de Israel?” (v.11).

Quem somos nós?

Somos fracos e pecadores e “pisamos na bola”. Muitas vezes somos Abrãao, Jacó, Jonas, Paulo, Moisés… mas precisamos ter a plena consciência de que:

– a obra é de Deus e não nossa: isso nos tranquiliza.

– infelizmente, muitos ainda estão com as “sandálias da soberba nos pés” – por isso confiam mais em si mesmos do que na graça de Deus em Cristo Jesus. “Deus disse: Pare aí e tire as sandálias, pois o lugar onde você está é um lugar sagrado” (Êxodo 3.5).

– Assim como Deus enviou Moisés, hoje Ele envia todos nós para sermos líderes e enfrentarmos perigos e os faraós do mundo moderno: os faraós do ter, do poder, do prazer, da injustiça, da mentira, da divisão, do ódio…

– e nós também precisamos perguntar como Moisés: quem sou eu para ir ter com o “faraó”? E diante de nossa indagação, a resposta é maravilhosa: “Eu estarei com você” (Êxodo 3.12). Sem Deus não somos nada.

Para sermos líderes na Igreja, o que nos resta é reconhecer e admitir a nossa fragilidade, que erramos e pedir pelo perdão de Deus. Pedir para que Ele derrame em nós o seu Espírito Santo para sermos líderes conforme a Sua vontade e não conforme a nossa intuição e pensamentos. Orar para que Deus dê sabedoria para sermos líderes na Congregação, nos Leigos, nas Servas, nos Jovens, na Escola Bíblica para Crianças, ali onde estamos e vivemos, seja lá qual for a região do Brasil ou do mundo.

Quando se fala em liderança na Igreja, sempre se deve ter em grande consideração as palavras de Jesus: “Porque até o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida para salvar muita gente” (Marcos 10.45). Aqui Jesus dá a base da liderança: não tem o sentido de mandar, mas o objetivo é servir. O que é maravilhoso: Jesus não fala apenas em servir, mas ele age e serve. Ele serve grupos e pessoas que eram ignoradas e que não tinham vez nem voz na sociedade: mulheres, crianças e doentes; e ainda lava os pés dos discípulos. Ele serve para que as pessoas que eram vistas como ‘indignas’, agora possam ser vistas como dignas.

Para concluir, uma situação em que Lutero fala do líder/servo: “Imaginem essa cena: Se um filho de um grande e poderoso rei viesse à casa de um pobre mendigo, cuidasse dele na sua doença, limpasse a sua sujeira e fizesse todas aquelas coisas que de outra forma o mendigo teria que fazer. Não seria isso uma surpresa e grande humildade? Pois que outra coisa temos aí senão isso: Cristo, o Filho de Deus, torna-se meu servo e humilha-se tanto assim que leva a minha miséria e o meu pecado, sim o pecado e a morte de todo mundo. E dirige-se a nós e diz: eu servi em teu lugar, eu paguei pelos teus pecados.”

Que obra grandiosa: o líder/servo Jesus Cristo serve em favor da humanidade que veste as “sandálias da soberba”.

Quem sou eu para ser líder na Igreja? Sou alguém amado, capacitado e servido pelo amor e pela graça de Deus. Isso basta, e mãos ao trabalho, líderes, ou melhor, servos de Deus.

Leandro Born

Pastor em Nova Petrópolis, RS

*Este texto foi publicado no Mensageiro Luterano de janeiro/fevereiro de 2015.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Convite à igreja

Assista ao vídeo da presidente da JELB, Dagmara Abigail Figur, e do presidente da IELB, pastor Geraldo Schüler, convidando toda a...

Veja também

Convite à igreja

Assista ao vídeo da presidente da JELB, Dagmara Abigail...

Jó, em meio a desastres naturais

Uma reflexão sobre sofrimento, esperança e superação dos maus conselhos em tempos de sofrimento!

Fé e imigração

Em termos de igreja – IELB, os primeiros missionários vieram dos Estados Unidos, em 1900, para atender primeiramente os imigrantes alemães.