Acontece nas melhores famílias!

O que vemos nos consultórios hoje em dia, mascarados de supostos diagnósticos e muitos rótulos, são grandes exemplos da falta de tempo em família.

Daniela von Mühlen
Psicóloga Relacional Sistêmica – Terapeuta de Casal e Família
https://danielavonmuhlen.com/ ou @danielavonm

O que acontece ou pode acontecer nas melhores famílias? Ou ainda: quais são as melhores famílias? Convido você, hoje, a refletir sobre a sua família…

A melhor família é a minha! Com certeza, é a única que eu conheço a ponto de poder falar com propriedade, certo? Se você não considera a sua família a melhor, observe mais de perto cada integrante e as relações estabelecidas, também o seu comportamento e participação nela.

E pensando na sua família, o que acontece? Amor, parceria, brigas, casamentos, divórcios, recasamentos, uniões estáveis, nascimentos, abortos, luto por morte natural, luto por suicídio, alcoolismo, uso de drogas, promoção no trabalho, demissões, gente ganhando dinheiro, gente viajando, gente passando por dificuldades financeiras e por aí vai… Se você olhar bem de perto, na sua família acontece de tudo. O que muda é como lidamos com o que acontece, qual é a base que nos sustenta para lidar com o que acontece.

E aí precisamos falar de tempo. Todos sabemos que, para ter uma vida saudável, precisamos, dormir bem, nos alimentar bem, fazer atividade física, trabalhar, cuidar dos afazeres domésticos, ter tempo livre, um hobby, estar com a família, manter uma boa vida social, ir e trabalhar na igreja, e o que mais? Temos tempo para tudo isso? Talvez nossa noção de tempo é que esteja errada, pois em Eclesiastes 3 diz que há tempo para tudo! Essa é uma afirmação bíblica, então como você pode dizer que que não há?

Talvez o problema esteja em pensar que precisamos ter tempo para tudo ao mesmo tempo, entende? E as palavras bíblicas nos ensinam que há um tempo diferente para cada coisa na nossa vida.

Temos a tendência em achar culpados para tudo na vida, inclusive para nossa falta de tempo. As tecnologias talvez sejam hoje as mais atacadas e culpadas, mas… se você olhar bem de perto para sua rotina e sua família, vai perceber que além de tempo, você também tem escolhas a fazer. Escolhas importantes para sua vida e a vida dos seus familiares.

O que vemos nos consultórios hoje em dia, mascarados de supostos diagnósticos e muitos rótulos, são grandes exemplos da falta de tempo em família. Crianças e adolescentes são, muitas vezes, os sintomas aparentes do funcionamento familiar onde estão inseridos. A falta de tempo reduz a possibilidade de criar e desenvolver uma base equilibrada para lidar com a vida adulta. Falta de tempo reflete em falta de habilidades sociais, irritabilidade, individualismo, não saber lidar com frustrações, não ter um propósito de vida, etc.

O tempo é um dos maiores bens concedidos a cada pessoa. E nossa maneira de usá-lo demonstra o que realmente importa para nós. E aí ouvimos, em vários momentos, que o importante não é a quantidade de tempo, mas a qualidade… será? A qualidade de tempo não compensa a quantidade, e a quantidade também influencia na qualidade. Vivência diária, o exemplo, a proximidade, o vínculo, a conquista da confiança, o respeito, só se adquirem com quantidade de tempo de qualidade. Ou seja, formar uma família é bem difícil e exige tempo.

“Família é prato difícil de preparar.

São muitos ingredientes. Reunir todos é um problema…

Não é para qualquer um. Os truques, os segredos, o imprevisível.

Às vezes, dá até vontade de desistir…

Família é prato que emociona. E a gente chora mesmo. De alegria, de raiva ou de tristeza.

O pior é que ainda tem gente que acredita na receita da família perfeita.

Bobagem! Tudo ilusão!

Família é afinidade, é à Moda da Casa.

E cada casa gosta de preparar a família a seu jeito.

Há famílias doces. Outras, meio amargas. Outras apimentadíssimas.

Há também as que não têm gosto de nada, seria assim um tipo de Família Dieta, que você suporta só para manter a linha.

Seja como for, família é prato que deve ser servido sempre quente, quentíssimo.

Uma família fria é insuportável, impossível de se engolir.

Enfim, receita de família não se copia, se inventa.

A gente vai aprendendo aos poucos, improvisando e transmitindo o que sabe no dia a dia.

Muita coisa se perde na lembrança. Aproveite ao máximo.

Família é prato que, quando se acaba, nunca mais se repete!

Família: Feliz quem tem e sabe curtir, aproveitar e valorizar…”

(Arroz de Palma, de Francisco Azevedo)

Tão focados em reconhecer o amor próprio, muitos perderam a habilidade em amar o próximo. Ao entenderem de forma exagerada que são autossuficientes e “incríveis”, podem equivocadamente pensar que não precisam de ninguém, nem da sua família.

Mas, “temos uma profunda sede de vida, de relacionamentos alegres e livres. Precisamos que as pessoas nos considerem sem preconceitos, vendo-nos como somos e não através de luneta de uma doutrina moral, de uma teoria científica ou de um diagnóstico médico” (Culpa e Graça, Paul Tournier). Família é lugar de acolhimento, não de julgamento. Família deveria ser a cura para o estresse do dia a dia, e não a causa.

Então, como melhor administrar nosso tempo em família? O que é terapêutico em família? Álbum de fotografias (arquivadas ou em redes sociais), celebrações, tradições familiares (famílias de origem e família atual), trabalho e profissões na família, relação com animais e a natureza, etc. Organize tempo para realizar isso em família e verá os resultados.

“Abra seu coração, dobre seus joelhos e ore pedindo entendimento sobre esses assuntos, pois todos nós já temos as nossas dores. Então que sejamos instrumentos para levar saúde mental, através da saúde espiritual, a todos ao nosso redor” (Acolher para entender: saúde mental na vida cristã).

Sua família é dom de Deus, é sua responsabilidade, é seu lugar seguro, é sua primeira escola. Saiba que tudo acontece ali na sua família, mas saiba também que é sua responsabilidade criar uma estrutura saudável para lidar com tudo o que acontece ali. Sim, a responsabilidade é sua, é uma responsabilidade compartilhada entre todos, pais, mães, avós, filhos, netos, marido, esposa, tios, primos…

Desejo que você perceba sua responsabilidade e dedique tempo para investir nas suas relações familiares, isso fará toda a diferença na sua vida e também na vida e sociedade de todos ao seu redor.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Saúde mental em meio a desastres e catástrofes

A busca por autoconhecimento é sempre fundamental, ter ciência das suas habilidades, quando e onde tem condições físicas e emocionais para atuar é fundamental. Confira algumas dicas de como lidar com as emoções em cada fase

Veja também

Saúde mental em meio a desastres e catástrofes

A busca por autoconhecimento é sempre fundamental, ter ciência das suas habilidades, quando e onde tem condições físicas e emocionais para atuar é fundamental. Confira algumas dicas de como lidar com as emoções em cada fase

Livres para servir: o papel da religião na promoção do bem comum

A realização dos ideais religiosos depende da preservação da liberdade religiosa – o direito fundamental de praticar, expressar e manifestar suas crenças sem discriminação ou perseguição. Defender a liberdade religiosa não é apenas uma obrigação legal, mas um imperativo moral que garante o florescimento de diversas comunidades religiosas e promove um ambiente propício ao diálogo e à cooperação

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó