Saúde mental em meio a desastres e catástrofes

A busca por autoconhecimento é sempre fundamental, ter ciência das suas habilidades, quando e onde tem condições físicas e emocionais para atuar é fundamental. Confira algumas dicas de como lidar com as emoções em cada fase

Daniela von Mühlen
Psicóloga Relacional Sistêmica – Terapeuta de Casal e Família
Colaboradora do PAHP (Programa de Ajuda Humanitária Psicológica)
https://danielavonmuhlen.com/

Todos acompanhamos a catástrofe causada pelas enchentes no Rio Grande do Sul, de perto ou de longe. As notícias impactam e acionam emoções diversas em cada um de nós.

Alguns são tomados pela ação em ajudar o próximo de forma física, presente, nos resgates, nos abrigos, na alimentação, nas doações. Outros colocam seus contatos e influência para despertar iniciativas em prol das pessoas atingidas. E outros ainda se afastam, por vários motivos que não cabe julgamento.

Cada um tem seus dons e pode usar em momentos diferentes. Nem todos tem habilidades para atuar na linha de frente em desastres e catástrofes. Mesmo assim, mantenha-se informado sobre o que está sendo feito pela IELB em https://respostadesastre.ielb.org.br/.

A preocupação com a saúde mental percorre todas as etapas da crise e todas as pessoas, independentemente do seu envolvimento. Como lidar com as emoções em cada fase?

A busca por autoconhecimento é sempre fundamental, ter ciência das suas habilidades, quando e onde tem condições físicas e emocionais para atuar é fundamental. Tem um ditado que diz: “muito ajuda quem não atrapalha”, ter conhecimento e respeitar seus limites é uma grande qualidade, saber quando se afastar, quando parar e quando se envolver e atuar é necessário.

Vários profissionais da Psicologia, juntamente com equipes multidisciplinares, vêm atuando na IELB no intuito de fornecer ferramentas e informações relevantes, científicas e confiáveis para atuação em tempos de crise.

Para as crianças, foi desenvolvido material de apoio e orientações em https://promo.editoraconcordia.com.br/sosrs. Acesse e compartilhe.

Para adultos, temos vários textos, vídeos e e-books em https://local.vivenciar.net/reconstruindors. Neste site, você também tem a possibilidade de conversar com alguém da equipe de acolhimento ou ainda deixar registrada sua história e experiência vivida neste momento. Acesse e compartilhe.

Algumas dicas importantes para todos:

– Evite julgamentos. Cada um faz o que tem condições de fazer. Se você tem muitas condições, faça! Mas não julgue quem não pode oferecer neste momento o mesmo auxílio. Deus nos fez diferentes, e nessa diferença devemos nos respeitar e unir.

– Seja misericordioso com você mesmo. Neste momento, sentimentos de insuficiência ou de estar com as mãos amarradas podem vir à tona. Não se culpe! Você não é super-herói, você tem seus limites e precisam ser respeitados.

– Expresse suas emoções. Não tenha vergonha de chorar, ficar triste ou com raiva. Procure um lugar seguro e expresse suas emoções, se for preciso, se afaste para não machucar outras pessoas. Uma ideia é promover rodas de conversa para falar sobre o que viram, sentiram, viveram.

– Se puder, ouça os outros. Cada um expressa suas emoções de forma diferente, mas a maioria sente necessidade de falar. Escute para entender e não para responder. O silêncio e um abraço nesse momento de perdas muitas vezes são mais eficazes que muitas palavras.

– Observe seu processo de luto. Todos estamos envolvidos nesse processo de luto de diferentes formas. Quem está longe se envolvendo, quem está longe seguindo sua vida normal, quem está perto e foi atingido, quem está perto e está auxiliando, quem está perto e já precisa voltar a viver a vida e seguir adiante. São muitas nuances de uma catástrofe e muitas formas de vivenciar o luto, observe e respeite.

– Evite fake news. Muitas vezes no intuito de informar, acabamos prejudicando. Busque controlar em si mesmo o desejo de ser o primeiro a compartilhar ou ainda de polemizar e garantir likes com mensagens desnecessárias. Você acaba perdendo credibilidade compartilhando sem filtro. Influencie repassando canais oficiais de informação ou não repassando nada, lembre-se: “muito ajuda quem não atrapalha”.

Ainda estamos em meio ao caos, cheios de incertezas, mas Deus não muda e está a frente de tudo e principalmente em nossos corações. Lembre-se das palavras de Jesus em João 16.33: “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo”.

Comentários

  1. O mesmo Deus que me me deu a mão quando descobrimos uma doença incuravável, incapacitante e progressiva ; esteja com cada flagelado no RGS. Oro para que Jesus os carregue nos braços para juntos vencerem essa catástrofe. Eu recebi alta da minha doença
    ( o que parecia ser impossivel) assim vocês serão abençoados se orarem e crerem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Ovelhas geram ovelhas. Pastores apascentam ovelhas

No evangelho de João 10.11,14, Jesus é o “Bom Pastor” que apascenta e gera, espiritualmente, as ovelhas que escutam sua voz e que o conhecem e são por ele conhecidas.

Veja também

Ovelhas geram ovelhas. Pastores apascentam ovelhas

No evangelho de João 10.11,14, Jesus é o “Bom Pastor” que apascenta e gera, espiritualmente, as ovelhas que escutam sua voz e que o conhecem e são por ele conhecidas.

Cheiro de salvação

O texto de 2 Coríntios 2.14 diz assim: “como um perfume que se espalha por todos os lugares, somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas”.

Quem está nas trincheiras ao seu lado?

Quando a gente casa, traz uma bagagem para a vida a dois. Nesta bagagem, estão os valores aprendidos em casa, as experiências de relacionamentos anteriores, nossa profissão talvez, sonhos e desejos.