Saúde mental em meio a desastres e catástrofes

A busca por autoconhecimento é sempre fundamental, ter ciência das suas habilidades, quando e onde tem condições físicas e emocionais para atuar é fundamental. Confira algumas dicas de como lidar com as emoções em cada fase

Daniela von Mühlen
Psicóloga Relacional Sistêmica – Terapeuta de Casal e Família
Colaboradora do PAHP (Programa de Ajuda Humanitária Psicológica)
https://danielavonmuhlen.com/

Todos acompanhamos a catástrofe causada pelas enchentes no Rio Grande do Sul, de perto ou de longe. As notícias impactam e acionam emoções diversas em cada um de nós.

Alguns são tomados pela ação em ajudar o próximo de forma física, presente, nos resgates, nos abrigos, na alimentação, nas doações. Outros colocam seus contatos e influência para despertar iniciativas em prol das pessoas atingidas. E outros ainda se afastam, por vários motivos que não cabe julgamento.

Cada um tem seus dons e pode usar em momentos diferentes. Nem todos tem habilidades para atuar na linha de frente em desastres e catástrofes. Mesmo assim, mantenha-se informado sobre o que está sendo feito pela IELB em https://respostadesastre.ielb.org.br/.

A preocupação com a saúde mental percorre todas as etapas da crise e todas as pessoas, independentemente do seu envolvimento. Como lidar com as emoções em cada fase?

A busca por autoconhecimento é sempre fundamental, ter ciência das suas habilidades, quando e onde tem condições físicas e emocionais para atuar é fundamental. Tem um ditado que diz: “muito ajuda quem não atrapalha”, ter conhecimento e respeitar seus limites é uma grande qualidade, saber quando se afastar, quando parar e quando se envolver e atuar é necessário.

Vários profissionais da Psicologia, juntamente com equipes multidisciplinares, vêm atuando na IELB no intuito de fornecer ferramentas e informações relevantes, científicas e confiáveis para atuação em tempos de crise.

Para as crianças, foi desenvolvido material de apoio e orientações em https://promo.editoraconcordia.com.br/sosrs. Acesse e compartilhe.

Para adultos, temos vários textos, vídeos e e-books em https://local.vivenciar.net/reconstruindors. Neste site, você também tem a possibilidade de conversar com alguém da equipe de acolhimento ou ainda deixar registrada sua história e experiência vivida neste momento. Acesse e compartilhe.

Algumas dicas importantes para todos:

– Evite julgamentos. Cada um faz o que tem condições de fazer. Se você tem muitas condições, faça! Mas não julgue quem não pode oferecer neste momento o mesmo auxílio. Deus nos fez diferentes, e nessa diferença devemos nos respeitar e unir.

– Seja misericordioso com você mesmo. Neste momento, sentimentos de insuficiência ou de estar com as mãos amarradas podem vir à tona. Não se culpe! Você não é super-herói, você tem seus limites e precisam ser respeitados.

– Expresse suas emoções. Não tenha vergonha de chorar, ficar triste ou com raiva. Procure um lugar seguro e expresse suas emoções, se for preciso, se afaste para não machucar outras pessoas. Uma ideia é promover rodas de conversa para falar sobre o que viram, sentiram, viveram.

– Se puder, ouça os outros. Cada um expressa suas emoções de forma diferente, mas a maioria sente necessidade de falar. Escute para entender e não para responder. O silêncio e um abraço nesse momento de perdas muitas vezes são mais eficazes que muitas palavras.

– Observe seu processo de luto. Todos estamos envolvidos nesse processo de luto de diferentes formas. Quem está longe se envolvendo, quem está longe seguindo sua vida normal, quem está perto e foi atingido, quem está perto e está auxiliando, quem está perto e já precisa voltar a viver a vida e seguir adiante. São muitas nuances de uma catástrofe e muitas formas de vivenciar o luto, observe e respeite.

– Evite fake news. Muitas vezes no intuito de informar, acabamos prejudicando. Busque controlar em si mesmo o desejo de ser o primeiro a compartilhar ou ainda de polemizar e garantir likes com mensagens desnecessárias. Você acaba perdendo credibilidade compartilhando sem filtro. Influencie repassando canais oficiais de informação ou não repassando nada, lembre-se: “muito ajuda quem não atrapalha”.

Ainda estamos em meio ao caos, cheios de incertezas, mas Deus não muda e está a frente de tudo e principalmente em nossos corações. Lembre-se das palavras de Jesus em João 16.33: “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo”.

Comentários

  1. O mesmo Deus que me me deu a mão quando descobrimos uma doença incuravável, incapacitante e progressiva ; esteja com cada flagelado no RGS. Oro para que Jesus os carregue nos braços para juntos vencerem essa catástrofe. Eu recebi alta da minha doença
    ( o que parecia ser impossivel) assim vocês serão abençoados se orarem e crerem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Emergindo das águas: Um novo começo

A nossa querida Editora Concórdia irá se reerguer e continuará a ser a editora da teologia bíblica e confessional que herdamos da Reforma. Publicando a Palavra que permanece.

Veja também

Emergindo das águas: Um novo começo

A nossa querida Editora Concórdia irá se reerguer e continuará a ser a editora da teologia bíblica e confessional que herdamos da Reforma. Publicando a Palavra que permanece.

Um fim em comum!

E para cumprir com seu propósito, a IELB: utilizará os meios de comunicação; produzirá e distribuirá livros e material religioso, fundando e mantendo organizações com essa finalidade. Esse é o porquê de a Igreja ter uma editora.

14º Encontro Nacional de Escolas Luteranas (14º ENEL)

Em 1524, Lutero elaborou um documento que lançaria as bases de conceitos como educação pública e gratuita, universalização do ensino, ludicidade no processo ensino-aprendizagem, educação interacionista, protagonismo do aluno, aprendizagem significativa e de uma educação com propósitos existenciais, fundamentada nos princípios cristãos.