Cinzenta e pesada cerração

Mesmo quando nossas viagens pela vida sejam sem o brilho do sol ou em meio a belos cenários, o SENHOR Deus estará sempre ao nosso lado

Esta semana fiz uma viagem de carro. Dentre tantos belos cenários que a natureza ofereceu ao longo da viagem, um, em especial, me chamou a atenção. Foi quando, de repente, uma grossa e pesada cerração estava à frente. Dentre vales e montes, nada se enxergava, a não ser alguns vultos e luzes de carros. E assim, por bons quilômetros, a viagem aconteceu em meio àquela cerração, exigindo cautela, velocidade reduzida e olhar focado na pista.

Na estrada da vida, muitas vezes nossas viagens são belas e agradáveis, repletas de realizações e alegrias que nos são preciosas. Mas, de repente, o cenário pode mudar. É inevitável experimentar também as neblinas grossas e pesadas. Elas nos acompanham ao longo da vida. Estão à nossa frente. E, quem sabe, muitos estejam agora passando por elas.

E, neste cenário de cerração, não é possível enxergar o brilho do sol, as cores das flores, as belezas e encantos da vida que está ao redor. Tudo pode estar em um enorme e perigoso tom cinzento. Podemos rodar longos trechos amargurando nossas culpas, carregando pesados fardos de sofrimentos, enfermidades, sonhos que viraram pó, perdas irreparáveis. Sim, é difícil viver neste cenário de cerração densa e cinzenta.

Mesmo quando nossas viagens pela vida sejam sem o brilho do sol ou em meio a belos cenários, o SENHOR Deus estará sempre ao nosso lado. Quando desanimamos ou até mesmo pensamos em desistir de tudo, é ele quem nos diz: “Não fiquem com medo, pois eu estou com vocês; não se apavorem, pois eu sou o seu Deus. Eu lhes dou forças e os ajudo; eu os protejo com a minha forte mão” (Is 41.10).

Mesmo que seja de forma borrada ou ofuscada, como uma viagem em uma densa cerração, a imagem da cruz está logo à nossa frente. Ela é o sinal do amor de Deus, quando enviou seu Filho Jesus para, através de sua morte e ressurreição, trazer de volta para si toda a sua criação. Inclusive nossa vida, nossa história, nossas paisagens ensolaradas ou acinzentadas por uma cerração.

Então, fica a dica: “Para vocês que me temem, a minha salvação brilhará como o sol, trazendo vida em seus raios” (Ml 4.2). Sim, o sol brilha além da cerração. Sim, a vida perfeita e bela está pronta, logo à frente, depois da cerração. Foi conquistada por Cristo. E brilhará como um belo dia de sol.  

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Emergindo das águas: Um novo começo

A nossa querida Editora Concórdia irá se reerguer e continuará a ser a editora da teologia bíblica e confessional que herdamos da Reforma. Publicando a Palavra que permanece.

Veja também

Emergindo das águas: Um novo começo

A nossa querida Editora Concórdia irá se reerguer e continuará a ser a editora da teologia bíblica e confessional que herdamos da Reforma. Publicando a Palavra que permanece.

Um fim em comum!

E para cumprir com seu propósito, a IELB: utilizará os meios de comunicação; produzirá e distribuirá livros e material religioso, fundando e mantendo organizações com essa finalidade. Esse é o porquê de a Igreja ter uma editora.

14º Encontro Nacional de Escolas Luteranas (14º ENEL)

Em 1524, Lutero elaborou um documento que lançaria as bases de conceitos como educação pública e gratuita, universalização do ensino, ludicidade no processo ensino-aprendizagem, educação interacionista, protagonismo do aluno, aprendizagem significativa e de uma educação com propósitos existenciais, fundamentada nos princípios cristãos.