Mãe, mulher inesgotável?

Vivemos em uma sociedade em que há sinais de cansaço. A hiperconectividade nos dá a sensação de nunca parar. A mente está sempre alerta. As notificações nas redes sociais. O vídeo enviado pelo amigo. A mensagem do trabalho recebida fora de hora. Além, é claro, das responsabilidades diárias. O trabalho com suas pressões. Tempo para a família. Tempo para si mesmo.

Neste ritmo frenético, também estão nossas queridas mães. Vistas pelos filhos como mulher forte, inesgotável, sempre disponível. Porém, por vezes tão frágil, esgotada. Quem revela isso é a pesquisa revelada pela comunidade materna Mommys, realizada em 2022. De acordo com a pesquisa, 62,7% das mães enfrentam cansaço e sobrecarga com muita frequência. Fadiga que é fruto do turbilhão de responsabilidades dentro e fora do lar. Neste ritmo, sacrificado está o precioso tempo para relaxar, praticar uma atividade física, ler um livro, ouvir uma boa música, esvaziar a mente enquanto se pratica o precioso “não fazer nada”.

Ombros de mãe também cansam. Esse esgotamento pode até não transparecer aos filhos, mas o Senhor o conhece. Ele sabe das preocupações. Dos temores. Dos pedidos. Das culpas. E, por isto, Jesus convida: “Venham a mim todos vocês que estão cansados de carregar as suas pesadas cargas, e eu lhes darei descanso” (Mateus 11.28). Este convite também é para você, mãe. Em Jesus há paz e descanso. Há perdão e salvação. Há vida eterna. Mãe, refugie seu coração no amor de Jesus.

Quando o esgotamento mental e físico coloca nosso pequeno mundo em colapso, é hora de formatar a vida de forma diferente. Elencar o mais urgente e o menos urgente. E, neste processo de oxigenação da mente e do relaxamento dos ombros, há algo que é fonte de profunda paz, sabedoria, fé e vida. A leitura e a meditação na Palavra do Senhor. Mãe, tenha tempo para ler a Palavra e orar.

Então fica a dica: mãe, mulher inesgotável? De forma alguma. Mãe precisa do perdão de Jesus. Do amor de Jesus. Da paz de Jesus. Com o coração mergulhado na fé cristã, certamente haverá sabedoria para administrar o precioso tempo de mãe.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

Veja também

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

A subjetividade contemporânea do rolar a tela do celular

O Tik Tok passa a predominar e compor o mundo intrapsíquico do ser humano. E tal composição atinge milhões de pessoas, como uma espécie de hipnose pandêmica.

A dolorosa volta para casa

Após 20 ou mais dias, vítimas da enchente no RS começam a retornar aos seus lares para limpeza e reconstrução