Retornar ao trabalho e sentir-se vazio

Só de parte da experiência de Saulo há testemunhas, os que o acompanhavam ouviram a voz, não perceberam imagem nem luz. Saulo, o escolhido, é um soldado tombado, cego e desamparado, levanta-se vazio. Seguro, Saulo tinha vivido desde a infância, o passado do seu povo o mantinha confiante, o nome lembrava Saul, o primeiro rei de Israel, monarca inaugural do período fulgurante da história de sua gente, o florescimento culmina com o grande rei Salomão, grande na atuação política, grande no saber. Em território romano, Saulo se movia como cidadão, privilégio de poucos. Estabeleceu-se em Jerusalém para fortalecer certezas, para atuar no centro da vida religiosa dos descendentes de Abraão. Não podia imaginar que a queda era o primeiro ato de uma revolução pessoal e universal, a voz do alto derrubou as barreiras entre o limitado e o sem limites.

Na luz que cegou Saulo brilhava o Infinito, o caminho recusado alinha-se como senda que leva para além de todos os caminhos. Jesus aponta a Saulo um abrigo inesperado, Damasco, manda que se hospede na casa de Ananias, um dos perseguidos, Saulo deveria seguir os passos de quem o guiaria à rua Direita. Rumo a Damasco, o inimigo do Caminho ensaia os primeiros passos para nova etapa, orientar desorientados. A acolhida em Damasco não foi festiva, Ananias e a comunidade cristã tinham dificuldades para entender a repentina transformação de Saulo, embora o Ressuscitado garantisse que Saulo era vaso escolhido.

O cegado na estrada a Damasco é vaso (skeuos), recipiente sem conteúdo. Saulo vinha sendo preparado desde a infância para andar no “caminho” e não o sabia, nada se perdeu de sua formação farisaica e helênica, ela mudou de sentido; como vaso, o que lhe ensinaram cerca um espaço vazio a ser preenchido com outro conteúdo. Cabe ao que abre os olhos aproximar o que o ódio separou. Saulo aprende que Jesus é um poder que age, que transforma, que constrói. Saulo batia-se por um mundo limitado, entra num mundo sem limites; em lugar da violência que imobiliza, descobre a palavra que liberta.

O perseguidor passa a ser perseguido. Mãos cautelosas o ajudam a fugir de Damasco. Dirige-se a sinagogas para reexaminar a Escritura. O convertido esclarecia pessoas habituadas a obedecer, palavras lidas poderiam ter sentido diferente do consagrado. O conhecimento que lhe vem do alto dá novo sentido à vida, Saulo se contempla com outros olhos, o saber se amplia lentamente, “Então conhecerei como sou conhecido” – dirá mais tarde.

Saulo percebe-se isolado, os antigos amigos o perseguiam, os novos lhe negavam confiança. Resolveu voltar a Tarso, sua terra natal. Viver em Tarso era mais seguro? Desprotegido e carente, longe de todos, demanda o deserto. As dúvidas eram maiores do que as certezas. Saulo ignorava o sentido de passagens que sabia de cor.
Saulo afasta-se de Tarso e busca o deserto, o vaso busca o espaço vazio. Cristo passou quarenta dias no deserto, Saulo viveu cerca de dez anos paragens longínquas, silenciosas, arenosas. Entre dunas percebe a desolação, somem recursos, ilusões. Saulo compreende o que significa ser vaso, descobre o deserto interior. Deus revela-se em Saulo – o vaso – e o ultrapassa, o que o Criador tem a oferecer é infinitamente mais do que o revelado. A vida estala em lugares que são hostis à vida. Saulo, sentindo-se carente, pede-lhe mais. Cristo lhe responde que o já recebido lhe basta, o Salvador oferece o bastante a todos, cria no vazio. Saulo desperta para o tamanho de sua pequenez. Ao retornar à atividade de proclamar a Palavra, troca o nome Saulo por Paulo, pequeno. Em Paulo, o vazio se torna visível. Por não possuir nada, ele não tem nada de seu a oferecer, dá o que recebe. Ao dar, percebe-se enriquecer.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Novos membros são recebidos em Nova Petrópolis, RS

Culto da Santíssima Trindade teve batismo e recepção de novos membros na Congregação São Marcos

Veja também

Novos membros são recebidos em Nova Petrópolis, RS

Culto da Santíssima Trindade teve batismo e recepção de novos membros na Congregação São Marcos

Enchente no RS provoca mudanças no Simpósio de Missão

Programação do Seminário Concórdia será reduzida e online. Inscrições podem ser feitas até o dia 21 de junho

Saúde mental em meio a desastres e catástrofes

A busca por autoconhecimento é sempre fundamental, ter ciência das suas habilidades, quando e onde tem condições físicas e emocionais para atuar é fundamental. Confira algumas dicas de como lidar com as emoções em cada fase