Saúde mental de crianças e adolescentes

Relatório científico estima que quase um em cada seis crianças e adolescentes entre 10 e 19 anos no Brasil viva com algum transtorno mental

Miriam Raquel Wachholz Strelhow
Psicóloga, professora e pesquisadora na área do Desenvolvimento Humano

            O mês de setembro ganhou destaque especialmente a partir de 2013 como um mês de prevenção ao suicídio. Durante todo o mês, o tema da saúde mental tem sido lembrado através de campanhas e movimentos em diferentes formatos.

Em artigos anteriores, foram tratados aqui temas como depressão, comportamentos de risco e a importância de quebrar preconceitos sobre a saúde mental. É muito importante lembrarmos que esses são temas que precisam ser cuidados em todas as fases da vida. Não é um assunto que atinge apenas os adultos. Diversos índices têm nos apontado para um aumento de problemas relacionados à saúde mental em crianças e adolescentes nos últimos anos.

A partir do período da pandemia de Covid-19, esse aumento, que já estava acontecendo, ganhou ainda mais força. Profissionais da saúde, da educação, e as famílias, têm percebido cada vez mais demandas relacionadas com ansiedade, depressão e outras questões de saúde mental.  

Segundo o relatório Situação Mundial da Infância 2021, estima-se que quase um em cada seis crianças e adolescentes entre 10 e 19 anos no Brasil viva com algum transtorno mental. Essas crianças e adolescentes estão mais expostos ao risco de automutilações, depressão e suicídio.

O que podemos fazer?

É muito importante que todos nós (família, amigos, escola, igreja) estejamos atentos às crianças e aos adolescentes com os quais convivemos, buscando cuidar e olhar para as suas necessidades emocionais. Precisamos ouvi-los e estar abertos a acolhê-los, e nos aproximarmos para que esse cuidado possa acontecer. É muito comum que pensemos ser “coisas de criança” ou “exageros de adolescentes” e acabarmos deixando passar sinais de alerta.

Alguns sinais de alerta: mudança brusca de comportamento; irritabilidade; tristeza duradoura; falta de ânimo para realizar atividades que normalmente davam prazer; isolamento; queda no rendimento escolar.

Algumas atitudes podem auxiliar na prevenção e na promoção de saúde mental das crianças e dos adolescentes:

  1. Investir na formação de vínculos fortes e seguros, para que as crianças e os adolescentes se sintam amados, acolhidos e saibam com quem podem contar. Atitudes que podem auxiliar nisso: estar presentes de fato, com atenção e conexão uns com os outros; dedicar tempo ao outro; buscar ouvir com atenção, sem críticas e julgamentos antecipados; reforçar o afeto; ter momentos de diversão em conjunto.   
  • Valorizar as emoções: falar sobre as emoções; ajudar as crianças desde bem pequenas e também os adolescentes a entender e dar nome àquilo que sentem. Não menosprezar os sentimentos.
  • Cuidados com a rotina: horas de sono necessárias para o descanso; alimentação saudável; atividades físicas; sempre que possível, passeios ao ar livre e contato com a natureza.
  • Cuidados com o uso das tecnologias: atenção ao acesso, especialmente, à internet. Muitas crianças e adolescentes têm passado muitas horas em contato com conteúdos diversos, com os quais muitas vezes eles não sabem e nem conseguem lidar. Além disso, durante o tempo em que estão conectados, deixam de fazer outras atividades importantes como as mencionadas acima.
  • Formação de redes: todos nós precisamos estabelecer relações saudáveis com outras pessoas. Auxiliar para que as crianças e adolescentes tenham amigos e possam valorizar essas amizades. 

Famílias, escola e grupos dos quais crianças e adolescentes fazem parte, como a igreja, precisam estar juntos nesse cuidado. Crianças e adolescentes também podem encontrar através da fé e do convívio na igreja espaço de acolhimento e conforto.

Esteja atento também à saúde mental das crianças e dos adolescentes! Se sentir que algo não vai bem, procure ajuda! Nunca é cedo para cuidar da saúde mental.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Ovelhas geram ovelhas. Pastores apascentam ovelhas

No evangelho de João 10.11,14, Jesus é o “Bom Pastor” que apascenta e gera, espiritualmente, as ovelhas que escutam sua voz e que o conhecem e são por ele conhecidas.

Veja também

Ovelhas geram ovelhas. Pastores apascentam ovelhas

No evangelho de João 10.11,14, Jesus é o “Bom Pastor” que apascenta e gera, espiritualmente, as ovelhas que escutam sua voz e que o conhecem e são por ele conhecidas.

Cheiro de salvação

O texto de 2 Coríntios 2.14 diz assim: “como um perfume que se espalha por todos os lugares, somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas”.

Quem está nas trincheiras ao seu lado?

Quando a gente casa, traz uma bagagem para a vida a dois. Nesta bagagem, estão os valores aprendidos em casa, as experiências de relacionamentos anteriores, nossa profissão talvez, sonhos e desejos.