Saúde mental de crianças e adolescentes

Relatório científico estima que quase um em cada seis crianças e adolescentes entre 10 e 19 anos no Brasil viva com algum transtorno mental

Miriam Raquel Wachholz Strelhow
Psicóloga, professora e pesquisadora na área do Desenvolvimento Humano

            O mês de setembro ganhou destaque especialmente a partir de 2013 como um mês de prevenção ao suicídio. Durante todo o mês, o tema da saúde mental tem sido lembrado através de campanhas e movimentos em diferentes formatos.

Em artigos anteriores, foram tratados aqui temas como depressão, comportamentos de risco e a importância de quebrar preconceitos sobre a saúde mental. É muito importante lembrarmos que esses são temas que precisam ser cuidados em todas as fases da vida. Não é um assunto que atinge apenas os adultos. Diversos índices têm nos apontado para um aumento de problemas relacionados à saúde mental em crianças e adolescentes nos últimos anos.

A partir do período da pandemia de Covid-19, esse aumento, que já estava acontecendo, ganhou ainda mais força. Profissionais da saúde, da educação, e as famílias, têm percebido cada vez mais demandas relacionadas com ansiedade, depressão e outras questões de saúde mental.  

Segundo o relatório Situação Mundial da Infância 2021, estima-se que quase um em cada seis crianças e adolescentes entre 10 e 19 anos no Brasil viva com algum transtorno mental. Essas crianças e adolescentes estão mais expostos ao risco de automutilações, depressão e suicídio.

O que podemos fazer?

É muito importante que todos nós (família, amigos, escola, igreja) estejamos atentos às crianças e aos adolescentes com os quais convivemos, buscando cuidar e olhar para as suas necessidades emocionais. Precisamos ouvi-los e estar abertos a acolhê-los, e nos aproximarmos para que esse cuidado possa acontecer. É muito comum que pensemos ser “coisas de criança” ou “exageros de adolescentes” e acabarmos deixando passar sinais de alerta.

Alguns sinais de alerta: mudança brusca de comportamento; irritabilidade; tristeza duradoura; falta de ânimo para realizar atividades que normalmente davam prazer; isolamento; queda no rendimento escolar.

Algumas atitudes podem auxiliar na prevenção e na promoção de saúde mental das crianças e dos adolescentes:

  1. Investir na formação de vínculos fortes e seguros, para que as crianças e os adolescentes se sintam amados, acolhidos e saibam com quem podem contar. Atitudes que podem auxiliar nisso: estar presentes de fato, com atenção e conexão uns com os outros; dedicar tempo ao outro; buscar ouvir com atenção, sem críticas e julgamentos antecipados; reforçar o afeto; ter momentos de diversão em conjunto.   
  • Valorizar as emoções: falar sobre as emoções; ajudar as crianças desde bem pequenas e também os adolescentes a entender e dar nome àquilo que sentem. Não menosprezar os sentimentos.
  • Cuidados com a rotina: horas de sono necessárias para o descanso; alimentação saudável; atividades físicas; sempre que possível, passeios ao ar livre e contato com a natureza.
  • Cuidados com o uso das tecnologias: atenção ao acesso, especialmente, à internet. Muitas crianças e adolescentes têm passado muitas horas em contato com conteúdos diversos, com os quais muitas vezes eles não sabem e nem conseguem lidar. Além disso, durante o tempo em que estão conectados, deixam de fazer outras atividades importantes como as mencionadas acima.
  • Formação de redes: todos nós precisamos estabelecer relações saudáveis com outras pessoas. Auxiliar para que as crianças e adolescentes tenham amigos e possam valorizar essas amizades. 

Famílias, escola e grupos dos quais crianças e adolescentes fazem parte, como a igreja, precisam estar juntos nesse cuidado. Crianças e adolescentes também podem encontrar através da fé e do convívio na igreja espaço de acolhimento e conforto.

Esteja atento também à saúde mental das crianças e dos adolescentes! Se sentir que algo não vai bem, procure ajuda! Nunca é cedo para cuidar da saúde mental.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

 “Olá, eu sou a terceira idade”

Quando pensamos sobre a saúde mental de uma pessoa idosa, é importante frisar que ela pode ser afetada por fatores que vão além das condições biológicas; os aspectos sociais, psicológicos e ambientais também são influenciadores

Veja também

 “Olá, eu sou a terceira idade”

Quando pensamos sobre a saúde mental de uma pessoa idosa, é importante frisar que ela pode ser afetada por fatores que vão além das condições biológicas; os aspectos sociais, psicológicos e ambientais também são influenciadores

A carreira da fé e a comunhão

Que grande bênção é o dom da comunhão; o presente da família da fé. Se a família social nos dá o amparo da mãe, do pai, dos irmãos, na congregação cristã (igreja) temos o amparo espiritual. Deus quer cuidar de nós por meio da sua igreja. Deus promete presença especial, onde dois ou três estão reunidos em seu nome.

X Simpósio Internacional de Missão

Programação acontecerá de 26 a 28 de junho, no Seminário Concórdia