Somos povo de Deus

No dia 24 de junho de 2023, a IELB completa 119 anos de atividades como organização eclesiástica. Por ocasião da sua fundação, em 24 de junho de 1904, ela era composta por três mil pessoas, que se reuniam em dez congregações e podiam contar com o pastoreio de 14 pastores. Hoje, ela está presente em todos os estados do Brasil e no Distrito Federal, conta com mais de 245 mil pessoas, as quais congregam em cerca de 1.500 congregações e são pastoreadas por mais de 630 pastores. Além disso, ela conta com dezenas de pastores atuando em igrejas-irmãs, em vários países, e em outras igrejas, aqui no Brasil.

Os 119 anos de história da IELB foram marcados por muitas lutas e bênçãos. Milhares de pessoas que ajudaram a escrever essa linda história já não estão mais conosco, já fazem parte da igreja triunfante, nos céus. À luz da Palavra de Deus, especialmente das palavras dirigidas aos colossenses, em 3.12, podemos dizer que esta é a história da ação de Deus na vida de seus filhos, aos quais amou, escolheu e chamou para serem o seu povo!

Olhando para o passado, não há outra coisa a fazer a não ser agradecer ao nosso bondoso Deus que nos amou e nos escolheu para sermos dele. E ele nos acolheu como seu povo através da igreja, pois foi nela que recebemos a sua santa Palavra, o batismo e a santa ceia. Precisamos também expressar a nossa gratidão a todas as pessoas pelas quais Deus agiu para que hoje pudéssemos fazer parte da IELB. Desfrutamos hoje dos preciosos frutos provenientes do árduo e consagrado trabalho de nossos pais, especialmente dos pioneiros e fundadores da IELB e das centenas de congregações e paróquias espalhadas em todos os estados da nossa nação.

E olhando para o presente e para o futuro, precisamos lembrar que o bastão hoje está em nossas mãos, e ele precisará ser passado para as novas gerações, para que Deus continue escrevendo esta abençoada história em nós e por meio de nós e de nossos filhos. E, nesse sentido, são preciosas as palavras de Deus escritas através do apóstolo Pedro: “Mas vocês são a raça escolhida, os sacerdotes do Rei, a nação completamente dedicada a Deus, o povo que pertence a ele. Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus, que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz. Antes, vocês não eram o povo de Deus, mas agora são o seu povo, antes, não conheciam a misericórdia de Deus, mas agora já receberam a sua misericórdia” (1Pe 2.9,10 NTLH).

Quando falou a respeito da sua igreja e dos desafios que ela enfrentaria, Jesus afirmou que nem “as portas do inferno prevalecerão contra ela” (Mt 16.18b). Temos a garantia de que Deus é fiel e ele quer continuar escrevendo essa história até a consumação dos séculos. No entanto, como ele decidiu escrever essa história na vida de seus filhos e por meio de seus filhos, precisamos sempre de novo nos avaliar e, com fé e em sincero arrependimento, dizer e agir como o profeta Isaías: “Eis-me aqui, envia-me a mim” (Is 6.8). Por falta de ação dos filhos e filhas de Deus, a igreja deixou e está deixando de existir em vários lugares do mundo. Por isso, cabe a nós, quando celebramos os 119 anos da IELB, refletir sobre a nossa participação nesse gracioso projeto de Deus.

Fazer parte do povo de Deus é a maior bênção que uma pessoa pode receber e usufruir na face da terra. Eu e você recebemos essa bênção. Sejamos gratos por isso e façamos tudo que estiver ao nosso alcance para que os nossos semelhantes, nesta e nas gerações vindouras, também recebam e usufruam desta bênção.

Deus abençoe a nossa amada IELB!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Você já reclamou de um presente dado por Deus?

“Quem vem aí?”, me perguntou uma senhora na saída do culto. Ao responder que era mais um menino, ela disse: “Ah, não!! Tinha que ser uma menina!” Quase sem acreditar no que ouvi, questionei: “Por quê? Não mesmo! Quando Deus envia o presente, a gente aceita com gratidão”.

Veja também

Você já reclamou de um presente dado por Deus?

“Quem vem aí?”, me perguntou uma senhora na saída do culto. Ao responder que era mais um menino, ela disse: “Ah, não!! Tinha que ser uma menina!” Quase sem acreditar no que ouvi, questionei: “Por quê? Não mesmo! Quando Deus envia o presente, a gente aceita com gratidão”.

Dores que fazem crescer

“Feliz é aquele que nas aflições continua fiel! Porque, depois de sair aprovado dessas aflições, receberá como prêmio a vida que Deus promete aos que o amam” (Tg 1.12).

O que alimenta nossa fé?

Esse foi o tema do Congresso de Servas e Leigos do DIVALI