Dedicação da casa de acolhimento da Capelania Hospitalar de Pelotas, RS

No dia 26 de março foi celebrada a cerimônia de dedicação da casa de acolhimento da Capelania Hospitalar de Pelotas, RS. Participaram do evento os pastores Milton Vorpagel (conselheiro do distrito Sul 1), Odacir Bundchen (conselheiro do distrito Sul 1), Adelar Munieweg (diretor-executivo da Hora Luterana) e Claudio Santos (capelão hospitalar em Pelotas).

Oriundo da união dos distritos Sul 1 e Sul 2 e, agora com a parceria também do Difronsul, este projeto de capelania hospitalar completa 15 anos de fundação no dia 1º de maio. Em 2019, foi adquirida uma propriedade, com o auxílio do departamento de Ação Social da IELB (DAS), que foi reformada nos anos de 2020 e 2021. No 2º semestre de 2021, ainda em reformas, houve os primeiros acolhimentos. Desde o final de 2022 são acolhidos pacientes e familiares de pacientes oriundos de outras cidades e que vêm buscar tratamento especializado em Pelotas. Até março deste ano, foram acolhidas mais de 50 pessoas (veja abaixo relatos de acolhidos).

Para a assistente social Anice Schleger, responsável pela Assistência Social no Hospital Santa Casa de Pelotas, é sempre emocionante falar sobre a casa de acolhimento da Capelania Hospitalar. “A maioria não sabe nem mesmo se deslocar dentro da cidade, são pessoas humildes, carentes de tudo, principalmente de afeto, carinho, fragilizadas, desesperadas, pois muitas vezes chegam ao hospital de forma repentina, despreparadas, já que a doença chega sem avisar na maioria das vezes. E aqui, elas encontram mais do que um local para ficar, encontraram afeto, palavras de conforto, apoio para esse momento de dor e medo. Ter uma local tão próximo da Santa Casa de Pelotas, que atende de forma gratuita essa população e saber que receberão todo suporte necessário é gratificante”, relata.

O que dizem quem já utilizou o serviço:

“Ficamos na casa em torno de 20 dias, devido a nossa filha ter nascido prematura de 32 semanas. Assim, até nosso bebê receber alta do hospital, nós precisávamos de um local para ficar. A casa foi de grande ajuda e utilidade para nós, pois fica bem próximo ao hospital. Desde o primeiro momento, fomos acolhidos com muito carinho pelos responsáveis da casa. Além da hospitalidade, lá tínhamos tudo que foi preciso para nos sentirmos em casa, como uma cozinha, local para lavar roupa, TV, local para banho e descanso. Sem dúvidas foi uma das bênçãos de Deus em nossa vida e será na vida de todos que dela precisarem.”
Giarles e Laisa

“Em janeiro deste ano, fomos surpreendidos com o nascimento prematuro do nosso filho Théo, que precisou ficar 32 dias internado na FAU. E é nos momentos mais difíceis que Deus coloca as pessoas certas no nosso caminho. Durante esse período, fomos acolhidos na casa da Capelaria Luterana e, como fica pertinho do hospital, facilitou o nosso deslocamento e nos proporcionou ficar perto dele. Além de poder descansar e fazer nossas refeições, destacamos o ambiente tranquilo, seguro e descontraído, onde contamos com a dedicação de pessoas que realmente se dedicam a causa. Nosso sincero agradecimento a cada um que, de uma maneira ou outra, contribuiu com a nossa estada na casa, e que colaborou para que esse sonho se realizasse. Uma casa que fez a diferença para nós e ainda fará na vida de muitas pessoas.”
Junior e Marilise

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Acolhimento e solidariedade aquecem o povo gaúcho

Com a chegada das baixas temperaturas, vítimas da enchente recebem ajuda de todo o país

Veja também

Acolhimento e solidariedade aquecem o povo gaúcho

Com a chegada das baixas temperaturas, vítimas da enchente recebem ajuda de todo o país

Novos membros são recebidos em Nova Petrópolis, RS

Culto da Santíssima Trindade teve batismo e recepção de novos membros na Congregação São Marcos

Enchente no RS provoca mudanças no Simpósio de Missão

Programação do Seminário Concórdia será reduzida e online. Inscrições podem ser feitas até o dia 21 de junho