Uma só IELB

Somos uma sólida igreja histórica, herdeiros da Reforma. O que nos trouxe até aqui foi a graça do nosso Pai, que chamou homens e mulheres para servir, uns como pastores e outros como leigos (os não pastores). E serão esses servos que, juntos, trabalharão para que permaneçamos, sob essa mesma graça, uma igreja forte. Para isso, precisamos de três pilares:

UNIDADE – Pastores e leigos juntos no trabalho do Reino de Deus. Podemos e devemos trabalhar juntos para o Reino de Deus, tanto no âmbito espiritual como na parte administrativa da igreja, desde a congregação, paróquia, distrito até à Direção Nacional. Pastor Geraldo e eu temos trabalhado assim, juntos. Há inúmeros exemplos bíblicos desta parceria. Temos essa prática muito bem consolidada nas Organizações Auxiliares (EBD, JELB, LSLB, LLLB), com diretorias formadas por leigos e pastores. Para alcançarmos essa unidade, precisamos de cargos, eleitos e processos bem claros para cada função, inclusive tendo o pastor voz e voto. Há um conceito dentro da IELB que pastor não deve se envolver nas questões administrativas e que leigos não devem se envolver nas questões espirituais ou cúlticas. Ambos devem estar juntos nessas questões, desde que, capacitados e treinados para desenvolverem com excelência suas funções. Essa capacitação e treinamento já acontece com nossos pastores, nos seis anos de sua formação no Seminário Concórdia. Nós, leigos, também precisamos cuidar e buscar nossa formação continuada, sendo treinados para assumir nossas vocações administrativas, quanto também nas atividades cúlticas da igreja.

SÍNODO – somos uma igreja sinodal nas questões de culto. Porém, no âmbito administrativo somos pequenas ilhas, onde cada um faz o que achar melhor, por tradicionalismo ou conveniência. E essas ilhas se tornam pequenos arquipélagos quando temos essa prática como paróquia e distrito. Eis o grande motivo de me colocar à disposição para trabalhar no Conselho Diretor da IELB. Em 2016, tentei desenhar o organograma da IELB por várias vezes e não tive sucesso. Recorri aos amigos gestores – gente que entende do assunto e da IELB –, e não conseguimos. Não conseguimos porque não temos um organograma administrativo coeso. Faltam-nos processos claros, que acabam deixando várias pontas soltas – sendo a origem de muitos problemas administrativos. Para ajustarmos a dinâmica de trabalho, devemos ser um sínodo também nas questões administrativas, com um organograma estruturado, com funções e procedimentos bem definidos, além, é claro, do mais importante, praticarmos e respeitarmos essa estrutura em todos os níveis da nossa amada IELB. Acredite, é possível sermos uma só igreja no âmbito administrativo, e já começamos essa caminhada. Criamos um grupo de trabalho para analisar nossa atual estrutura administrativa, identificar quais ajustes precisam ser feitos, pensar e estudar a fundo a eclesiologia na estrutura administrativa, e ouvir e buscar soluções. Por fim, vamos apresentar um plano para caminhar juntos e sermos uma IELB também forte no âmbito administrativo.

EQUILÍBRIO – Em todos esses passos não podemos esquecer o que somos, nossa história, nossos valores e nossa missão. Para isso, precisamos ter equilíbrio. Sair de uma zona de conforto é difícil, reconheço. Mas precisamos, de forma equilibrada, promover as mudanças administrativas necessárias para cumprir nossa tão valorosa missão, que é levar Cristo para todos.

Juliano Schneider Belz

Presidente

[email protected]

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Deus nos livre de nós mesmos

Um coração adoentado desta forma jamais conseguiria restaurar, por si só, a salvação jogada fora lá no Éden. Por isso, o perdão e a restauração deste coração corrompido estão unicamente em Jesus

Veja também

Deus nos livre de nós mesmos

Um coração adoentado desta forma jamais conseguiria restaurar, por si só, a salvação jogada fora lá no Éden. Por isso, o perdão e a restauração deste coração corrompido estão unicamente em Jesus

Missão Feliz, RS, completa 8 anos

A missão iniciou em 2016, com seis pessoas e hoje, já são 29 pessoas ativas e alguns visitantes

Setenta anos, a Igreja em missão em Baixo Guandu, ES

Congregação Da Paz celebrou culto festivo no dia 14 de abril