Muito além da religião

Lutero, muito além da Religião

Debater Lutero e trazer Lutero e seus significados para a vida nos dias de hoje é o objetivo principal que norteou essa produção, edição e disponibilização de conteúdos que hoje são consolidados em textos, filmes, imagens, cards, jogos de perguntas e respostas. Tudo devidamente incorporado aos portais das duas Igrejas – IELB e IECLB – e disponíveis para embasar estudos, pesquisas e debates.

Texto: Daiane Pires

Organização: Werner Schünemann, Paulo Heineck

Páginas: 136

Dimensões: 16 x 23 cm

Adquira aqui.

Sumário

Apresentação

Somos pessoas livres pela fé e servas pelo amor

Muito mais do que um fato na história

Introdução

Capítulo 1 | O contexto da Reforma

Capítulo 2 | Lutero e a educação

Capítulo 3 | Lutero e a música

Capítulo 4 | Lutero, a economia e o mundo do trabalho

Capítulo 5 | O lugar da mulher é em todo lugar

Capítulo 6 | Cuidar da juventude: tarefa de todos

Capítulo 7 | Nasce a imprensa

Capítulo 8 | Catarina von Bora, a senhora Lutero

Capítulo 9 | Da liberdade de consciência e suas consequências

Capítulo 10 | A Reforma e as transformações políticas

Capítulo 11 | Ao longo da vida, também contradições

Cards – Sintetizando conceitos

Agradecimento

Apresentação

Quando apresentamos este Projeto a respeito dos 500 anos da Reforma Protestante aos membros das Igre­jas Luteranas – IELB e IECLB –, tínhamos em mente levar o debate sobre Lutero e a Reforma Protestante para fora do âmbito das Igrejas. Para fora dos “mu­ros das Igrejas”. Esta pretensão tinha como base a importância evidente da Reforma Protestante na história universal. Ao menos do que conhecemos como o mundo ocidental. Para nossa alegria, o Projeto que hoje toma forma também de livro e de DVD foi extremamente bem recebido e foi viabilizado pelo impulso advindo destas duas importantes e tradicionais Igrejas Luteranas.

Debater Lutero, trazer Lutero e seus significados para a nossa vida nos dias de hoje. Esse foi o objetivo principal que nos norteou na pro­dução, edição e disponibilização de conteúdos que hoje estão consoli­dados em textos, filmes, imagens, cards, jogos de perguntas e respostas. Tudo devidamente incorporado aos portais das duas Igrejas e – através destes – disponíveis para embasar estudos, pesquisas e debates.

Quando Lutero contesta a Igreja Católica e a venda de indul­gências, ele pratica mais do que um ato de coragem. Ele questiona fortemente o status quo e ajuda a acelerar a roda da história no senti­do de uma visão mais humanista e liberta dos ditames eclesiásticos. Quando Lutero afirma que todos podem ter uma relação direta com Deus, ele auxilia decisivamente a consolidar a liberdade de escolha religiosa. E, obviamente, o livre arbítrio no tocante às coisas terrenas. Quando Lutero se utiliza de um novo “aplicativo” que havia surgido anos antes – a prensa de Gutenberg – para disseminar suas ideias em forma de textos e livros, ele trilha um caminho que será, mais tarde, decisivo para dar voz e alternativas de comunicação a todos os gran­des movimentos que conformaram nosso mundo como ele é hoje. Quando Lutero inverte a lógica do debate vigente à época ao afirmar que a ética deveria ter um olhar para a terra e para nós que a habita­mos – e não para o céu – ele afirma um pensar onde nossas práticas concretas é que dignificam e dão sentido às nossas vidas. Quando Lutero traz à luz a discussão sobre a importância da juventude, ele impulsiona uma série de iniciativas públicas e privadas que fazem crescer a importância da educação para todos, independente do apelo religioso, da condição social, econômica ou de gênero. Quando Lute­ro qualifica todo o trabalho humano como digno e valoroso, ele é de­cisivo para dar importância ao nascente mundo do trabalho. Quando Lutero abre espaços de participação para as mulheres na Igreja, ele é determinante para a quebra de tabus e para o reconhecimento do papel decisivo das mulheres nas nossas sociedades.

O longo parágrafo anterior justifica porque a Reforma Protestan­te tem reflexos até hoje. E influencia nossas vidas e nossos comporta­mentos de forma tão efetiva. Nesse sentido, a discussão sobre Lutero e seu movimento não pode e não deve ficar restrita a uma questão religiosa. Nem a comemoração dos 500 anos da Reforma Protestante deve se circunscrever aos luteranos e seus familiares. Foi esse o nos­so esforço. Ao qual tivemos a pretensão de dar uma roupagem mais atual, criando conteúdos que possam dialogar com mais largas faixas de público. Que possa auxiliar a todos na compreensão de que somos o que somos também porque houve Lutero e a Reforma Protestante.9

Não procure neste livro, entretanto, um debate profundo. Ou lon­gos e minuciosos detalhamentos de cada um dos temas aqui aborda­dos. Este texto tem um objetivo diverso: queremos contribuir para que a vida e a obra de Lutero e a Reforma Protestante sejam discutidas, lidas e abordadas em todos os espaços públicos possíveis. Portanto, o que buscamos foi sugerir um roteiro de temas com informações básicas e bem fundamentadas que sirva de ponto de partida para a compreensão deste movimento que completa 500 anos em 2017.

Sempre correndo o risco imperdoável de esquecer alguém, que­remos agradecer a diversas pessoas que foram decisivas para que este Projeto se tornasse realidade. Aos pastores presidentes das Igrejas Luteranas: pastor Nestor Friedrich, da IECLB, e pastor Egon Kopere­ck, da IELB. À nossa amiga, a talentosa jornalista Aline Koller, vice-presidente de Comunicação da IELB, e ao nosso entusiasta desde a primeira hora, pastor Romeu Martini, assessor teológico da presidên­cia da IECLB. Ao incansável parceiro Zenar Eckert, nosso presidente da Comissão de Festividades dos 500 anos da Reforma Luterana. Ao sempre parceiro pastor Waldemar, pela sua ajuda inestimável para o sucesso do nosso Projeto. Ao nosso consultor, patrono, amigo e mestre: pastor Martin Dreher. Aos nossos colegas de trabalho nesta jornada dos quais – nos desculpem – não vamos nominar virtudes individuais porque o texto ficaria demasiado longo: Lúcio Uberdan, Luciana Marques, Fábio Buss, Letícia Montanet e Daniele Dorn.

E, por último, mas não menos importante, um agradecimento todo especial a duas pessoas. Uma delas, Cristina Pozzobon, parceira de muitos projetos, de uma criatividade espetacular e que – muito mais do que uma designer, uma criadora visual – é uma verdadeira artista que fica nos abastecendo com seu talento sem igual. A outra é esta maravilhosa jornalista e escritora chamada Daiane Pires, que é a autora dos textos deste livro. Daiane: nós já sabíamos.

Porto Alegre, outubro de 2017.

Paulo Heineck

Werner Schünemann

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Nossa oração mudou

   ”Deus, abençoe as pessoas pobres e ricas que perderam tudo na enchente. Que elas consigam o que vestir, o que comer e uma casa para morar”

Veja também

Nossa oração mudou

   ”Deus, abençoe as pessoas pobres e ricas que perderam tudo na enchente. Que elas consigam o que vestir, o que comer e uma casa para morar”

ANEL participa de Congresso Nacional de Escolas Luteranas da Argentina

Presidente Marlus Seling, diretor-executivo Nelci Senger e vice-presidente de Ensino da IELB, Joel Muller, representaram o Brasil no evento que reuniu mais de 300 participantes

O surgimento de uma tradição cristã

Participaram das aulas 19 alunos de diversos lugares do Brasil e do continente americano, tais como Canadá, México, Venezuela e Paraguai.