Famílias abençoadas

O mês de maio nos traz à lembrança pessoas carinhosas e amorosas. São as mães que homenageamos de maneira especial no segundo domingo de maio. Deus as toma como modelo de amor. Elas são movidas pelo amor.

De acordo com próprio Criador, é quase impossível que elas esqueçam e desamparem os seus filhos. “O SENHOR responde: Será que uma mãe pode esquecer o seu bebê? Será que pode deixar de amar o seu próprio filho? Mesmo que isso acontecesse, eu nunca esqueceria vocês” (Is 49.15). Esse “Será que…” nos lembra do amor imenso e sublime das mães. E Deus não quer admitir que possa haver MÃES capazes de ignorar e desamparar os seus filhos. Tão alta é a estima divina pelo amor delas!

Mãe lembra lar, cuidado dos filhos e muito amor. A mãe é uma grande promotora do aconchego, do convívio e do calor humano entre os familiares. Ela é indispensável na construção de uma família feliz e abençoada.

Todos nós desejamos ter uma família muito abençoada por Deus. Queremos que todos os nossos familiares sejam filhos de Deus pela fé no Senhor Jesus Cristo. A pergunta é: O que precisamos fazer para que o nosso desejo se torne realidade?

No Salmo 128, lemos: Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos”. Este é o “segredo”: Temer ao Senhor. O que isso significa? É ter respeito, reverência diante do Senhor e acatar, confiar e viver conforme a sua bondosa orientação. Em consequência, Davi aponta para uma das bênçãos no lar: “Tua esposa, no interior de tua casa, será como a videira frutífera; teus filhos como rebentos da oliveira, à roda da tua mesa. Eis como será abençoado o homem que teme ao Senhor!” (Sl 128.3-4).

A Bíblia nos ensina que, se crermos no Senhor Jesus Cristo, seremos salvos, nós e a nossa casa. É o que está claramente afirmado no livro de Atos dos Apóstolos. Lá encontramos o registro da conversão do carcereiro de Filipos. O homem perguntou ao apóstolo Paulo: “Senhores, que devo fazer para que seja salvo?”. O apóstolo responde: “Crê no Senhor Jesus, e serás salvo, tu e a tua casa” (At 16.30-31). Bênçãos serão derramadas sobre as famílias dos cristãos.

Esta é a realidade de todos os lares na atualidade? Parece que estou ouvindo: NÃO!

Há muita desunião, muita briga, muitas separações e abandonos. Muitos casamentos que começaram com promessas de fidelidade e amor “até que a morte nos separe” já não existem mais. Casais estão se separando, e filhos estão nas ruas e sem rumo. Ideólogos tentam “matar” a família através da mídia e do ensino nas escolas de todos os níveis.

Por que isso está acontecendo? Qual é a causa geradora de tantos males, de tantas frustrações e tanta destruição das famílias?

A causa primária de toda perversão humana e a agressão aos valores cristãos estabelecidos por Deus para as famílias se deve à queda em pecado de Adão e Eva. O pecado decretou a morte e perverteu toda a criação de Deus e atingiu em cheio a família. Já na primeira família do planeta terra houve uma tragédia. Caim matou seu próprio irmão Abel. A partir da queda em pecado, a maioria não quer mais ouvir a Palavra de Deus e se deixar guiar por Jesus.

Uma família sem Deus não é família de Deus!

Precisamos reagir com mais vigor e nos firmar cada vez mais na Palavra de Deus com fé e confiança nas suas orientações. O amor à família deve nos levar a cultivar com mais intensidade a Palavra de Deus em nossos lares. Os cultos e estudos bíblicos na congregação devem ser atividades que não podemos perder!

Como são felizes e abençoadas as famílias que amam Deus e se apegam à sua graça, amor e proteção.

Mães, vocês são imprescindíveis na promoção desta felicidade e bênção! Deus vos abençoe!

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Emergindo das águas: Um novo começo

A nossa querida Editora Concórdia irá se reerguer e continuará a ser a editora da teologia bíblica e confessional que herdamos da Reforma. Publicando a Palavra que permanece.

Veja também

Emergindo das águas: Um novo começo

A nossa querida Editora Concórdia irá se reerguer e continuará a ser a editora da teologia bíblica e confessional que herdamos da Reforma. Publicando a Palavra que permanece.

Um fim em comum!

E para cumprir com seu propósito, a IELB: utilizará os meios de comunicação; produzirá e distribuirá livros e material religioso, fundando e mantendo organizações com essa finalidade. Esse é o porquê de a Igreja ter uma editora.

14º Encontro Nacional de Escolas Luteranas (14º ENEL)

Em 1524, Lutero elaborou um documento que lançaria as bases de conceitos como educação pública e gratuita, universalização do ensino, ludicidade no processo ensino-aprendizagem, educação interacionista, protagonismo do aluno, aprendizagem significativa e de uma educação com propósitos existenciais, fundamentada nos princípios cristãos.