A criogenia e o vencedor sobre a morte

Por mais avançada que seja a medicina moderna, há uma inimiga devoradora em nosso horizonte. A morte. Insaciável. Sempre há espaço para mais um. Mesmo diante de tratamentos avançados e uma medicina aperfeiçoada, a morte continua ali, logo à frente. Porém, há uma prática que vem crescendo nesta tentativa de driblar a morte. A criogenia.

Criogenia, ou criônica, nada mais é do que o congelamento do corpo em tanques de nitrogênio líquido. Assim, o corpo é preservado. E ali ele fica à espera da vitória da medicina sobre a morte, na expectativa de que um dia estes corpos sejam descongelados e trazidos de volta à vida. Mesmo que a bioética afirme que esta é uma técnica que não ofereça garantia alguma, há centenas de corpos congelados à espera da vitória sobre a morte. Uma expectativa que custa cerca de 200 mil dólares, valor do processo da criogenia.

Não sendo um estraga prazeres, mas preciso lembrar que a morte não é apenas um processo biológico, o qual a medicina poderia reverter. Morte é sinônimo de ser pecador. “O salário do pecado é a morte”, nos diz a Palavra. Já que estamos falando em congelamento, o ato de morrer é apenas a ponta de um enorme iceberg chamado pecado. Sua cartada final é justamente esta. A destruição e ruína da criação do SENHOR. De fato, somos pecadores. Assim nascemos, vivemos e morreremos. Não há medicina ou técnicas modernas que poderão frear a morte.

Enquanto a medicina e a ciência buscam driblar a morte, há alguém que já a venceu. Mesmo que hoje ela ainda colha vidas e traga tanta dor e sofrimento, a morte já está derrotada. Ao invés de tanques de hidrogênio e milhares de dólares, a vitória passa pela cruz, pelo sangue de um justo e pelo túmulo que ficou vazio. Na morte e ressurreição de Jesus, a morte fora vencida, derrotada. Não que Jesus fosse pecador e merecedor desta morte. Não! Ele é justo, Filho de Deus, verdadeiro homem e verdadeiro Deus! Sua morte foi vicária, em nosso lugar, para nos trazer perdão, salvação e a vida que nem mesmo a morte biológica a pode sufocar.

Conosco, o vencedor da morte quer compartilhar sua vitória: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e quem vive e crê em mim nunca morrerá”, nos diz Jesus. E Palavra ainda nos diz que “Cristo foi ressuscitado e isto é a garantia de que os que estão mortos também serão ressuscitados” (1 Co 15).

Sob esta vitória que já é nossa, pela fé, aguardemos com expectativa a ressurreição dos mortos. Aqueles que não creram, serão sentenciados aos terrores do inferno. Porém, os que creram em Cristo, serão ressuscitados para a festa da salvação daquele que venceu a morte.

Então fica a dica: enquanto o ser humano investe para reverter a morte, aquele que já a venceu nos convida a nele crer e a desfrutar desta vitória. Aqui e agora. Mas, especialmente, na ressurreição dos mortos. Diante disto, o que dizer? Vem, Senhor Jesus!

Bruno Serves

Pastor em Candelária, RS

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Ovelhas geram ovelhas. Pastores apascentam ovelhas

No evangelho de João 10.11,14, Jesus é o “Bom Pastor” que apascenta e gera, espiritualmente, as ovelhas que escutam sua voz e que o conhecem e são por ele conhecidas.

Veja também

Ovelhas geram ovelhas. Pastores apascentam ovelhas

No evangelho de João 10.11,14, Jesus é o “Bom Pastor” que apascenta e gera, espiritualmente, as ovelhas que escutam sua voz e que o conhecem e são por ele conhecidas.

Cheiro de salvação

O texto de 2 Coríntios 2.14 diz assim: “Como um perfume que se espalha por todos os lugares, somos usados por Deus para que Cristo seja conhecido por todas as pessoas”.

Quem está nas trincheiras ao seu lado?

Quando a gente casa, traz uma bagagem para a vida a dois. Nessa bagagem, estão os valores aprendidos em casa, as experiências de relacionamentos anteriores, nossa profissão talvez, sonhos e desejos.