Comunicado de falecimento do pastor emérito Martim Stern

A Diretoria Nacional da IELB comunica, com pesar, o falecimento do pastor emérito Martim Stern, ocorrido neste domingo, 25 de junho, em Joinville, SC. Pastor Martim estava internado e teve falência dos órgãos. Alcançou a idade de 91 anos, 4 meses e 26 dias.

O velório está acontecendo na Congregação Da Paz (Rua XV de Novembro, 9280 – bairro Vila Nova) e a cerimônia fúnebre será nesta segunda-feira, 26 de junho, às 16h, seguindo para a cremação.

Deixa enlutados os filhos Luciane Zart, Christiane Lehenbauer, Eliane Sabka, Susane Stern e Andre Stern, os genros pastores Mario Lehenbauer e Waldir Léo Sabka, nora Danielle, sobrinhos, netos e demais familiares e amigos.

Que Deus, em sua infinita graça e misericórdia, conforte os corações da família e amigos enlutados, com a certeza da vida eterna pela fé no Salvador Jesus Cristo.

“Então, ouvi uma voz do céu, dizendo: Escreve: Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem das suas fadigas, pois as suas obras os acompanham.” (Ap 14.13)

Trajetória

Martim Stern nasceu em 31/01/1932, em São Lourenço do Sul, RS. Recebeu o Santo Batismo no dia 20/03/1932 e confirmou seu voto batismal no dia 14/04/1946. Formou-se em Teologia pelo Seminário Concórdia de Porto Alegre em 1957. Casou-se com Herta (falecida em 1983) com quem teve 5 filhos. Em 1984, casou-se com Edith Homfeldt (também falecida).

Exerceu seu ministério pastoral em Mata, RS (1958-1960), Joinville, SC (1960-1971), Taquara, RS (1972-1985), Rio de Janeiro, RJ (1985-1992) e Juiz de Fora, MG (1992-2002).

Também exerceu funções como Conselheiro: do Distrito Santa Catarina Leste (1964-1971), Orientador da Juventude (1966-1969), da LSLB do Distrito Vale dos Sinos II (1976-1978) e do Distrito Hortênsias (1976-1985). Também foi autor das publicações: “Testemunhas de Jeová”, “Adiáforas” e “O pastor como pai”.

Recebeu o título de pastor emérito em 2002.

Mensagem da Diretoria Nacional da IELB:

Estimados familiares e amigos do pastor Martin Stern!

Que a graça e a paz de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo estejam com todos vocês!

Em nome da Diretora Nacional, e em nome de toda a IELB, me dirijo a vocês para expressar os nossos sinceros sentimentos e para transmitir um fraterno abraço neste dia em que nos despedimos do querido pastor Martin Stern.

Quando fui pastor da paróquia Paz, de Vila Velha, ES, no início da minha caminhada ministerial, tive o privilégio de conviver com o pastor Martim. Preparamos sermões em conjunto e até futebol jogamos juntos em algumas ocasiões. E uma coisa que o pastor Martim sempre enfatizou, no púlpito e na vida diária, foi a importância da obra do Espírito Santo na vida dos cristãos. Ele falava sobre a obra do Espírito Santo de Deus e ele vivia o seu dia a dia, movido pela fé em nosso amado Senhor e Salvador Jesus Cristo, aos braços de quem o Espírito Santo o conduzia diariamente.

Não temos dúvida de que o Espírito Santo foi fiel e o manteve na fé até o fim da sua vida. Por isso, aplicam-se a ele as palavras ditas pelo apóstolo Paulo em 2Tm 4.7: “Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé”.

Que todos nós encontremos conforto e consolo nestas palavras neste dia de dor e de despedida, e que o exemplo de submissão à obra do Espírito Santo de Deus deixado pelo pastor Martim nos inspire a vivermos o resto de nossos dias guiados pelo nosso bondoso Deus Triúno.

Com um fraterno abraço e votos de ricas bênçãos de Deus,

Pr. Geraldo W. Schüler – Presidente da IELB

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Pastor é instalado em Sinop, MT

Mauro Scheibler irá atuar na Paróquia Emanuel

Veja também

Pastor é instalado em Sinop, MT

Mauro Scheibler irá atuar na Paróquia Emanuel

Você já reclamou de um presente dado por Deus?

“Quem vem aí?”, me perguntou uma senhora na saída do culto. Ao responder que era mais um menino, ela disse: “Ah, não!! Tinha que ser uma menina!” Quase sem acreditar no que ouvi, questionei: “Por quê? Não mesmo! Quando Deus envia o presente, a gente aceita com gratidão”.

Dores que fazem crescer

“Feliz é aquele que nas aflições continua fiel! Porque, depois de sair aprovado dessas aflições, receberá como prêmio a vida que Deus promete aos que o amam” (Tg 1.12).