54 anos das servas em Marechal Candido Rondon, PR

Quatro das 23 fundadoras do Departamento da Congregação São Paulo estiveram presentes no culto festivo

No dia 9 de março, a Congregação São Paulo, de Marechal Cândido Rondon, PR, realizou culto festivo pelos 54 anos de fundação do departamento de servas, fundado em 11 de março de 1970. As servas fundadoras foram: Ilsa Albrecht, Otilia Packer, Elfrida Koglin, Vini Puhl, Herta Robeck, Frida Schwanke, Amanda Tomm, Irmã Tomm, Elvira Tomm, Milane Tomm, Hildegar Tomm, Holdine Wengrat, Ilse Witzke, Herta Zimmer, Erica Panzenhagen, Rosalina Vorpagel Hoffmann, Iloni Tomm, Loni Tomm, Dali Tomm, Delfina Gripe, Luisa Gripe, Leontina Vorpagel, Euda Tomm. E o pastor foi o Rev. Guilherme Lüdke.

Das 23 fundadoras, quatro estiveram presentes no culto especial para agradecer a Deus pelos 54 anos de trabalho missionário destas servas que fizeram, fazem e continuarão fazendo grandes obras para o Reino de Deus. Herta Robeck, Ivone Puhl, Elvira Tomm, Ilsa Albrecht continuam participando ativamente das reuniões. Que sirva sempre de inspiração para as gerações do presente e futuro.

A Congregação São Paulo, juntamente com seu pastor Cirlei Vorpagel e família, agradecem pelas bênçãos que este departamento é para o Reino de Deus.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

Veja também

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

A subjetividade contemporânea do rolar a tela do celular

O Tik Tok passa a predominar e compor o mundo intrapsíquico do ser humano. E tal composição atinge milhões de pessoas, como uma espécie de hipnose pandêmica.

A dolorosa volta para casa

Após 20 ou mais dias, vítimas da enchente no RS começam a retornar aos seus lares para limpeza e reconstrução