Política é tema do 9º Simpósio Internacional de Lutero

Nos dias 4 a 6 de julho de 2023, o Seminário Concórdia promoveu o 9º Simpósio Internacional de Lutero, programa de fomento à pesquisa em Lutero.

O evento reuniu cerca de 200 pessoas, de forma online e presencialmente, e contou com seis palestras (confira abaixo), além do lançamento de duas publicações: “O Deus da Ira e o Deus do Amor: Lei e Evangelho em Lutero”, livro do 8º Simpósio, organizado pelo coordenador do evento, prof. dr. Paulo Buss, e a “Separata da Confissão de Augsburgo”, de autoria do reformador Filipe Melâncton, cujo prefácio e posfácio foram escritos por dois palestrantes presentes: prof. dr. Ricardo Rieth (ULBRA – Canoas, RS) e prof. dr. Claus Schwambach (FLT – São Bento, SC), respectivamente. Ambos os livros podem ser adquiridos na Editora Concórdia (acesse aqui).

Com mudanças na programação, o capelão do Colégio ULBRA/Cristo Redentor, me. Alan D. Fürst, deu início às palestras, falando sobre o tema “Lutero referente à relação do cidadão (e da igreja) com o governo”, abordando assuntos atuais, como a polarização política. Na sequência, o pastor Allan Breda, da Congregação Da Cruz, bairro Floresta, em Porto Alegre, RS, expôs a temática “A autoridade como repressora do mal (em Lutero e hoje)”, respondendo questionamentos quanto à relativização da vida e legalização do uso de armas para a sociedade civil.

A terceira palestra ficou a cargo do professor da Faculdade Luterana de Teologia (FLT), de São Bento, SC, dr. Claus Schwambach, que discorreu sobre “Resistência à autoridade: possibilidades e limites (em Lutero e hoje)”, trazendo a questão da laicidade, do discurso conservador e da necessidade de autocritica ideológica.

O prof. da ULBRA, dr. Ricardo Rieth, explanou sobre “O governo como promotor de justiça social e econômica (em Lutero e hoje)” e o advogado e vice-presidente do Instituto Brasileiro de Direito e Religião, dr. Jean Regina, falou sobre o tema “A igreja num estado laico: possibilidades e limites de atuação”, explicando sobre a diferença entre crença e religião, Estado Laico e laicidade e argumentando questões relacionadas à proteção da igreja e perseguição religiosa.

Para fechar o momento de palestras, o convidado internacional, dr. Joel Biermann, professor do Concordia Seminary, Saint Louis, MO, USA, conduziu a temática “Lutero e os dois regimentos: distinção e relação”, trazendo orientações para a vida cristã quanto às influências do mundo secular. Dr. Joel Biermann permanece no Brasil para conduzir a disciplina do Mestrado Livre do Seminário Concórdia na próxima semana, sobre Trabalho e Descanso.

Além do representante da Lutheran Church – Missouri Synod (LCMS), o Simpósio contou com a participação de igreja-irmãs da Uganda, México, República Dominicana, Venezuela, Bolívia, Argentina e Paraguai.

Os momentos devocionais foram conduzidos pelo vice-presidente de Expansão Missionária da IELB, pastor Heder Gumz, pelo professor emérito do Seminário, Paulo Weirich, e pelo seminarista Vinicius de Souza. O culto de abertura foi dirigido pelos pastores Clóvis Gedrat (liturgista) e Nilo Wachholz (pregador).

A jornalista Luana Lemke e o vice-presidente de Educação Cristã da IELB, pastor Fernando Garske, repercutiram o evento no programa Revista CPT, do Canal CPT (IELB), desta sexta-feira, trazendo alguns depoimentos dos palestrantes e responsáveis pela programação (assista aqui).

Veja aqui mais fotos do evento.

Fotos: Luana Lemke/IELBcom e Ramon Augusto Pedro/Seminário Concórdia

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Você já reclamou de um presente dado por Deus?

“Quem vem aí?”, me perguntou uma senhora na saída do culto. Ao responder que era mais um menino, ela disse: “Ah, não!! Tinha que ser uma menina!” Quase sem acreditar no que ouvi, questionei: “Por quê? Não mesmo! Quando Deus envia o presente, a gente aceita com gratidão”.

Veja também

Você já reclamou de um presente dado por Deus?

“Quem vem aí?”, me perguntou uma senhora na saída do culto. Ao responder que era mais um menino, ela disse: “Ah, não!! Tinha que ser uma menina!” Quase sem acreditar no que ouvi, questionei: “Por quê? Não mesmo! Quando Deus envia o presente, a gente aceita com gratidão”.

Dores que fazem crescer

“Feliz é aquele que nas aflições continua fiel! Porque, depois de sair aprovado dessas aflições, receberá como prêmio a vida que Deus promete aos que o amam” (Tg 1.12).

O que alimenta nossa fé?

Esse foi o tema do Congresso de Servas e Leigos do DIVALI