Advento, dá-nos paciência!

Paciência, hoje, tornou-se artigo de luxo. Quem sabe, mais preciosa do que o filé banhado a ouro no Catar. Fomos acostumados a ser imediatistas. Foi-se o tempo de escrever uma carta e aguardar resposta. Hoje, queremos respostas rápidas. Imediatas. E quem é que aguenta a eternidade de seis segundos de anúncios no Youtube?

Paciência. Eis mais um dos diversos tons que compõe o tempo de advento. Quem nos dá este tom é a Palavra do Senhor em Tiago, capítulo 4 versículo 8: “sede vós também pacientes e fortalecei o vosso coração, pois a vinda do Senhor está próxima”. Esta paciência, adornada pelas cores do advento, não é um mero contar até 10 antes de explodir em raiva. É a paciência do aguardar. Do não desistir. Do ser paciente diante das adversidades. É ser paciente para aguardar o Senhor.

O advento nos convida a destoar um pouco deste estilo de vida imediatista. O tempo de advento quer nos ensinar a sermos pacientes. Não para aguardar apenas a noite de Natal, mas para aguardarmos pacientemente a vinda do Senhor Jesus como Rei dos reis. A promessa do nascimento do Salvador já se cumpriu. Mas há uma promessa que ainda não se cumpriu. A volta de Jesus, que fora morto na cruz; ressuscitado ao terceiro dia; que subiu aos céus e que, um dia, voltará para julgar a vivos e mortos. Esta promessa ainda está para se cumprir.

Aprendamos a ser pacientes. Diante de tantas tribulações, provações e ansiedades. Paciência. Diante de uma sociedade embebida em perseguições veladas aos princípios cristãos. Paciência. Diante de nossas dúvidas. Paciência. Também quando a nossa vontade não é a vontade do Senhor. Paciência. O Senhor não tarda em cumprir sua promessa. Ele voltará.

Então fica a dica: que os doces tons do advento nos ensinem a aguardar o Senhor com paciência. Aquele que fortalece nosso coração é o mesmo que nos guardará, até o último dia, através da sua Palavra Vem, Senhor Jesus!

Bruno Serves

Pastor Candelária, RS

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

Veja também

A parábola do semeador

A cultura digital afasta-nos da terra. Por mais evoluídos que sejamos, não podemos perder contato com a terra, a terra somos nós mesmos, pó é nossa origem e nosso destino. O período de uma vida transcorre de pó a pó

A subjetividade contemporânea do rolar a tela do celular

O Tik Tok passa a predominar e compor o mundo intrapsíquico do ser humano. E tal composição atinge milhões de pessoas, como uma espécie de hipnose pandêmica.

A dolorosa volta para casa

Após 20 ou mais dias, vítimas da enchente no RS começam a retornar aos seus lares para limpeza e reconstrução