Casamento ajuda na luta contra o câncer

Ayal Aizer, da Universidade Harvard, afirma que o casamento pode ter um impacto significativo nos pacientes com câncer. Solteiros, separados, divorciados ou viúvos apresentam um risco maior de câncer com metástase. Foram analisados 735 mil casos de câncer nos EUA, identificados entre 2004 e 2008.

Paul Nguyen, outro autor do estudo, afirma que o resultado serve para lembrar àqueles que têm um parceiro com câncer que sua participação no tratamento pode fazer muita diferença. E nós sabemos que foi para fazer a diferença que Deus uniu homem e mulher. Disse Deus: “Não é bom que o homem viva sozinho. Vou fazer para ele alguém que o ajude como se fosse a sua outra metade” (Gn 2.18).

No Congresso Nacional de Leigos, em Marechal Cândido Rondon, PR, em agosto de 2013, o pastor e professor Paulo Moisés Nerbas lembrou, em sua palestra, algumas mentiras inventadas pelo diabo sobre a família. Dentre elas, destaco a mentira que diz que a família é algo ruim. Desde piadas até noticiários, o casamento e a família têm perdido o seu valor. Já dizia o Apóstolo Paulo: “Essas pessoas ensinam que é errado casar […]”. Porém, “Tudo o que Deus criou é bom […]” (1Tm 4.3,4). Sim, o casamento é bom e maravilhoso, pois é um presente de Deus. Casamento é remédio e não doença. Mas não esqueçamos que o casal está contaminado pelo pecado e este traz múltiplos desagrados. Por isso, o casal deve lutar, não um contra o outro, mas os dois contra o pecado. E só há uma forma de fazer isso:com o auxílio do único que venceu o pecado – Jesus Cristo, nosso Salvador.

Aizer afirma no estudo: “Nossa humanidade é relacional em sua essência – somos pessoas tribais, mergulhados em conexões uns com outros para compartilhar o que é mais significante e gratificante na vida. Nossa medicina precisa seguir um paradigma paralelo: tratamentos que são centrados nas expressões do indivíduo e também de sua família”. Deus trata os males do ser humano através da família: primeiro, da família de sangue, originada do casamento entre o homem e a mulher; segundo, da família da fé, que se origina no convite de casamento do Cordeiro com sua noiva – a Igreja.

A família da fé, na qual fomos inseridos pelo Espírito Santo, sara-nos por estarmos mergulhados em conexões com o próprio Deus pela fé e sacramentos, onde ele compartilha sua graça, amor, misericórdia e perdão que sara a ferida do pecado humano. Nela também somos inseridos em conexões com o próximo, que visam carregar as pesadas cargas uns dos outros (Gl 6.2). Essa família carrega a esperança que, por si só, é alívio: “[…] Sejam fiéis, mesmo que tenham de morrer; e, como prêmio da vitória, eu lhes darei a vida” (Ap 2.10); e vive diariamente da promessa divina que diz: “Invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei e tu me glorificarás” (Sl 50.15).

Ao aconselhar casais, em Efésios 5, o apóstolo Paulo pede que o casal aprenda a amar com o casamento do Cordeiro – Jesus Cristo – com sua Igreja. Casamento que começou na cruz, onde Jesus adornou, preparou e santificou sua noiva, e esta agora aguarda prudentemente pela chegada do noivo (Mt 25) para que possam festejar o casamento eterno. Deste casamento é que vem a força, orientação e direção para que casais possam viver em um lar que trata e não destrói. Dele vem o auxílio na luta contra o pecado que invade os lares da nação, e dele provém o amor, o perdão e o auxílio de Deus a indivíduos e famílias.

“Que o casamento seja respeitado por todos, e que os maridos e as esposas sejam fiéis um ao outro […]” (Hb 13.4); “[…] Que ninguém separe o que Deus uniu” (Mt 19.6).

Ismael Isaque Verdin

Pastor em Parobé, RS

Referência Journal of Clinical Oncology:

http://jco.ascopubs.org/content/early/2013/09/18/JCO.2013.51.5080.full.pdf+html?sid=c4b3c787-3ff0-48fb-adc6-d554adf84d3f

Acessado em 24/09/2013

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Matérias Relacionadas

Nossa oração mudou

   ”Deus, abençoe as pessoas pobres e ricas que perderam tudo na enchente. Que elas consigam o que vestir, o que comer e uma casa para morar”

Veja também

Nossa oração mudou

   ”Deus, abençoe as pessoas pobres e ricas que perderam tudo na enchente. Que elas consigam o que vestir, o que comer e uma casa para morar”

ANEL participa de Congresso Nacional de Escolas Luteranas da Argentina

Presidente Marlus Seling, diretor-executivo Nelci Senger e vice-presidente de Ensino da IELB, Joel Muller, representaram o Brasil no evento que reuniu mais de 300 participantes

O surgimento de uma tradição cristã

Participaram das aulas 19 alunos de diversos lugares do Brasil e do continente americano, tais como Canadá, México, Venezuela e Paraguai.